03:23 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Gina Haspel, candidata para o cargo de diretora da CIA, presta juramento durante audições de confirmação no Senado

    Espancamento de mulher grávida e estupro de homem: Snowden expõe mais torturas de Haspel

    © AP Photo/ J. Scott Applewhite
    Américas
    URL curta
    22358

    A nomeação de Gina Haspel como diretora da CIA foi recebida com uma forte oposição entre os legisladores norte-americanos, já que ela foi suspeita de estar envolvida no uso de métodos de interrogação extremos pela agência.

    O famoso delator, Edward Snowden, escreveu em seu Twitter que a nova diretora da CIA participou do programa de torturas cruel, bem como encomendou a destruição do vídeo com evidências.

    "Note: Gina Haspel participou do programa de tortura que envolvia bater na barriga de uma mulher grávida (inocente), estupro anal de um homem com a comida que ele tentou rejeitar, e congelamento de um prisioneiro algemado até a morte. Ela pessoalmente escreveu o pedido para destruir 92 gravações das torturas da CIA", lê-se em seu Twitter.

    ​O Senado dos EUA confirmou a nomeação de Gina Haspel como a próxima diretora da Agência Central de Inteligência com 45 votos a favor, de um total de 54, na quinta-feira (17). De acordo com as recentes gravações reveladas, ela supervisionou a tortura do prisioneiro, incluindo afogamento simulado e mandou destruir as evidências, declarou o Arquivo da Segurança Nacional dos EUA na Universidade de George Washington.

    Na semana passada, o senador norte-americano, John McCain, recusou-se a votar a favor da nomeação de Haspel, por que acha que ela não convém para liderar a CIA devido ao "papel perturbador na supervisão do uso de torturas pelos americanos".

    Durante as audições dela no Senado em 9 de maio, Haspel prometeu não renovar o programa de detenção e interrogação sob a sua liderança, embora não declarou que as táticas de tortura eram imorais.

    Gina Haspel, de 61 anos de idade, será a primeira mulher na posição da diretora da CIA, que alegadamente vigiou a interrogação de um prisioneiro na prisão secreta na Tailândia, que foi afogado 83 vezes em um único mês durante torturas.

    Mais:

    Indicada por Trump para assumir a CIA quis desistir do cargo, diz mídia dos EUA
    Acusada por tortura, nova diretora da CIA promete não retomar interrogatórios
    Documentos: nova diretora da CIA supervisionou tortura
    Tags:
    inteligência, prisão, torturas, CIA, Gina Haspel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik