16:47 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Letreiro em Birmingham, Alabama, diz Os negros precisam ficar longe das igrejas dos brancos e os brancos se recusaram a ser nossos vizinhos.

    'Fiquem longe das igrejas dos brancos', diz placa aos negros do Alabama, nos EUA (FOTO)

    © Tea Partiest/YouTube
    Américas
    URL curta
    684

    O outdoor de uma igreja em Birmingham, Alabama, provocou polêmica ao dizer que "os negros precisam ficar longe das igrejas brancas". O pastor da igreja negra que colocou a mensagem defendeu as declarações ao encorajar moradores locais a lutarem contra a gentrificação.

    O reverendo Michael R Jordan, pastor da Igreja Batista da Nova Era de Birmingham, colocou a placa no sábado, de acordo com a AL.com. 

    Supremacistas brancos carregam tochas durante marcha neonazista na Virgínia, nos Estados Unidos
    © REUTERS / Alejandro Alvarez/News2Share
    Jordan é conhecido por usar o outdoor da igreja para espalhar mensagens políticas, às vezes controversas. Desta vez, o pastor mira a Igreja das Terras Altas, uma mega igreja com 16 filiais que atraem mais de 40.000 fiéis semanalmente — a maior do Alabama. Em breve, serão 17 locais — o mais novo está programado para ser inaugurada em West End, Birmingham.

    O fundador da Igreja das Terras Altas, Chris Hodges, anunciou a nova locação no dia 2 de maio, dizendo: "Decidimos que, neste outono, lançaremos um campus, mas não será como nossos campi normais. Vamos lançar um campus no coração da área com a maior ocorrência de crimes em toda a nossa cidade e vamos fazer um serviço presencial, com música ao vivo e  vai ser diferente de várias maneiras para atender as necessidades dessa comunidade," declarou ao Christian Post.

    É motivado por esta declaração que Jordan aconselhou os negros da cidade a "ficarem fora das igrejas brancas". Jordan disse à AL.com que "os negros inundaram igrejas brancas e se mudaram para bairros brancos… Por razões de status. É uma sensação de autoestima. Mas 99% dos brancos não vão a uma igreja negra".

    Policial em Baltimore em 29 de abril de 2015
    © AFP 2018 / Andrew Caballero-Reynolds
    Jordan também suspeita que a nova localização planejada da mega-igreja é um truque para fazer com que seus membros negros parem de ir a outros locais. "O campus principal está farto dos negros que se juntaram à igreja deles, então eles decidiram: 'Vamos colocar uma igreja lá'", disse ele.

    Jordan disse à AL.com que seus temores incluem a cidade de Birmingham, dando à nova igreja prioridade de financiamento sobre outros programas sociais, incluindo aqueles destinados a abordar os problemas sociais que supostamente motivariam a nova igreja. Dirigindo-se às preocupações de Hodges mais diretamente, Jordan disse:

    "Se você está preocupado com o crime e as drogas, por que abandonou a cidade e começou seus próprios sistemas escolares? É muito hipócrita. Chris Hodges não vai morar perto de nós. não vai deixar a família dele ir para a escola conosco. Se você quer ajudar com o crime, tem empresários ricos, dê a esses garotos negros um emprego, não limpeza. Comece alguns programas de trabalho e financie através da igreja negra".

    O medo da gentrificação em West End, Birmingham é real. Em um fórum da comunidade em outubro passado, Evanne Gibson, a dirigente comunitária de West End, disse à AL.com: "Sei que a gentrificação está aqui". Ela disse que lotes vagos estavam sendo comprados em sua comunidade e que ela se preocupava com a capacidade dos moradores pobres e de renda fixa de permanecer em suas casas.

    Chris Hatcher, administrador de projetos urbanos da cidade de Birmingham, lidera a Força-Tarefa para Preservação de Bairros Dinâmicos e Diversos, encarregado de recomendar mudanças nas políticas regulatórias sobre acessibilidade habitacional, zoneamento anti-deslocamento, educação e treinamento da força de trabalho, transporte e saúde equidade em um esforço para mitigar os efeitos da gentrificação. "Birmingham é uma cidade onde precisamos de reinvestimento em nossa comunidade", disse Hatcher no fórum de outubro. "O reinvestimento em nossa comunidade é o que estamos tentando alcançar. O deslocamento forçado de pessoas que vivem nessas comunidades é algo que não queremos."

    Os esforços de Hatcher claramente fizeram pouco para amenizar os temores de moradores como Jordan, que descreveu como as linhas raciais na cidade se perpetuaram desde o fim da segregação formal. "Igrejas brancas merecem a culpa pela segregação de bairros e escolas", disse Jordan à AL.com na quarta-feira.

    "Os brancos não queriam ser nossos vizinhos, não queriam que seus filhos estudassem com nossos filhos. Eles também deixaram as igrejas. Eles venderam as igrejas para nós. Os brancos não querem ser nossos vizinhos. Se você não quer ser nosso vizinho, por que se sente confortável em colocar uma igreja branca no centro da cidade? "

    O portal The Root notou a precisão do argumento de Jordan, apontando que, segundo o censo americano, a população negra de Birmingham antes da segregação ser proibida atingiu 40,7%, mas que hoje é de 72 %.

    O prefeito de Birmingham, Randall Woodfin, respondeu na segunda-feira à mensagem da Igreja Batista da Nova Era com um post no Facebook:

    "Há um espírito que está sobre esta cidade que tem que ser derrubado. Um espírito de racismo e divisão. Nós temos que mudar a conversa para o que nós precisamos para evoluir. A escuridão não pode nos levar à escuridão. Somente a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso".

    Tags:
    Christian Post, Igreja das Terras Altas, Igreja Batista da Nova Era, Chris Hodges, Michael R Jordan, West End, Estados Unidos, Alabama, Birmingham
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik