15:12 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Polícia reprime protesto na Nicarágua, abril de 2018.

    Presidente da Nicarágua: 'a violência irracional e diabólica explodiu em nosso país'

    © AP Photo / Alfredo Zuniga
    Américas
    URL curta
    720

    O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse nesta quarta-feira (16) que a "violência irracional e diabólica" foi desencadeada em seu país. A declaração foi durante a abertura do diálogo nacional para enfrentar a crise desencadeada pelos protestos contra seu governo.

    "Um professor morreu de madrugada, foram dois mortos ontem [em 15 de maio], um gravemente ferid, uma menina de um ano de idade vítima dessa violência irracional que explodiu em nosso país, violência diabólica que explodiu em nosso país, quatro irmãos da polícia nacional que têm família, que têm filhos, que têm uma esposa, uma mãe, ficaram gravemente feridos nesses ataques que foram lançados ontem à noite", disse o chefe de Estado.

    "Temos a obrigação de não responder à violência com mais violência", acrescentou Ortega.

    Além disso, o presidente negou que em seu país haja desaparecidos ou presos políticos.

    Desde o dia 18 de abril Nicarágua vive intensos protestos. A Igreja Católica, através de seus bispos no país, pediu o fim de grupos paramilitares e uma missão da  Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

    Os distúrbios mais violentos desde o fim da guerra civil no país em 1990, foram provocados pela reforma da previdência, revogada pelo governo após os protestos. A medida, no entanto, não foi suficiente para acalmar as manifestações.

    Universitários, agricultores e empresários se uniram aos protestos contra Ortega, que, em 2016, conquistou seu terceiro mandato consecutivo.

    Mais:

    Governo da Nicarágua pede que OEA investigue mortes no país
    EUA retiram diplomatas da Nicarágua devido a violência
    Após protestos, mortes e condenação dos EUA, Nicarágua cancela reforma de sua previdência
    Tags:
    violência, manifestação, protestos, reforma previdenciária, Daniel Ortega, Nicarágua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik