23:15 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Soldados israelenses nas Colinas de Golã, perto da fronteira com a Síria, foto de arquivo

    EUA proíbem viagens de funcionários do governo à região entre Síria e Israel

    © REUTERS / Ronen Zvulun
    Américas
    URL curta
    433

    Funcionários do governo federal dos EUA estão proibidos de fazer viagens pessoais às Colinas de Golã após notícias de que o Irã supostamente disparou mísseis contra as Forças de Defesa Israelenses (FDI) na área das colinas de Golã, disse o Departamento de Estado em um comunicado nesta quinta-feira (10).

    "Devido à recente ação militar e tensões regionais, até novo aviso, os funcionários do governo dos EUA estão proibidos de viajar pessoalmente para as Colinas de Golã", disse o Departamento de Estado em um comunicado oficial.

    Durante a noite, forças iranianas na Síria supostamente teriam disparado 20 foguetes contra as posições das FDI na região das colinas de Golã, sob administração israelense na fronteira com a Síria. Em resposta, a Força Aérea de Israel atingiu dezenas de alvos iranianos na Síria.

    As relações entre Israel e o Irã estão tensas devido à redução do programa nuclear de Teerã, que ainda existe, além da retórica hostil e do apoio à Síria em sua luta contra grupos terroristas.

    Autoridades israelenses disseram emais de uma ocasião que Tel-Aviv não permitiria que o Irã transformasse a Síria, submersa em uma guerra civil desde 2011, em sua base militar.

    Mais:

    Venezuela critica saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã
    Nova recessão pode atingir EUA em 2020, diz pesquisa
    Tags:
    acordo nuclear, Guerra da Síria, Forças de Defesa de Israel (FDI), Tel-Aviv, Irã, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik