04:28 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Casa Branca

    Senado dos EUA acusa Rússia de interferência nas eleições de 2016

    © flickr.com/ Gage Skidmore
    Américas
    URL curta
    513

    O Comitê de Inteligência do Senado dos EUA divulgou relatório nesta terça-feira (8) acusando a Rússia de "uma grande variedade de atividades relacionadas à inteligência visando o processo de votação dos EUA".

    No entanto, o relatório ressalta que nenhum voto foi alterado durante os supostos esforços de Moscou.

    "Em 2016, os atores cibernéticos afiliados ao governo russo conduziram uma campanha cibernética coordenada e sem precedentes contra a infraestrutura eleitoral do Estado", disse o relatório, acrescentando que ao menos 18 estados dos EUA foram afetados, mas o número pode ser ainda maior. "Em pelo menos seis estados, os atores cibernéticos afiliados à Rússia foram além do escaneamento e conduziram tentativas de acesso mal-intencionado em sites relacionados a votação", aponta o documento.

    O relatório também diz que "não viu nenhuma evidência de que os votos foram alterados e descobriu que, no geral, a diversidade de nossas infraestruturas de votação é um ponto forte", 

    "O Comitê constatou que, além da atividade cibernética direcionada à infraestrutura eleitoral do Estado, a Rússia realizou uma ampla variedade de atividades relacionadas à inteligência visando o processo de votação nos EUA. Essas atividades começaram pelo menos em 2016, continuaram durante o dia da eleição e incluíram esforços de coleta de informações tradicionais, bem como operações provavelmente destinadas para desacreditar a integridade do processo de votação e os resultados eleitorais dos EUA", disse o relatório.

    A Rússia tem sido repetidamente acusada de tentar influenciar eleições em vários países. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, diz que as alegações são infundadas. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, ressaltou que não há provas de que a Rússia esteja se intrometendo em eleições em países estrangeiros.

    Mais:

    Israel e países europeus reagem à saída dos EUA do acordo nuclear iraniano
    EUA se retiram do acordo nuclear iraniano
    Irã: os EUA só entendem a 'linguagem da força'
    Novíssimo porta-aviões dos EUA sofre mais uma falha e não estará pronto antes de 2022
    EUA estão à beira de uma nova Grande Depressão?
    Tags:
    Senado dos EUA, Sergei Lavrov, Dmitry Peskov, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik