00:40 28 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, falando com jornalistas

    Equipe de Trump contratou espiões para minar acordo nuclear do Irã, diz jornal

    © REUTERS / Mike Theiler
    Américas
    URL curta
    403

    Os assessores do presidente dos EUA, Donald Trump, supostamente contrataram oficiais de inteligência israelenses para investigar diplomatas que trabalharam no acordo nuclear do Irã sob o governo de Barack Obama, segundo reportagem que circula na mídia britânica.

    A equipe de Trump contratou investigadores no ano passado para encontrar informações comprometedoras sobre Ben Rhodes, que atuou como vice-conselheiro de segurança nacional. Além del, também teria sido alvo Colin Kahl, conselheiro de segurança nacional do vice-presidente Joe Biden, segundo informou o jornal The Guardian ainda no sábado (5).

    Os investigadores teriam sido contratados para descobrir, entre outras coisas, se Rhodes ou Kahl haviam, de alguma forma, se beneficiado do Plano de Ação Integral Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês) de 2015, que foi e continua sendo criticado por Trump.

    Até o final da próxima semana, o presidente dos Estados Unidos deve anunciar se os Estados Unidos continuarão fazendo parte do acordo. O JCPOA diminui as sanções internacionais sobre o Irã de forma gradual. Em troca, Teerã deve garantir a natureza pacífica de seu programa nuclear.

    Mais:

    China, Coreias e Irã preocupam Trump e Theresa May
    Equipe de Trump contratou empresa israelense para 'trabalho sujo' de inteligência
    'Indecente e incompetente', diz ex-premiê francês sobre Trump após comentário polêmico
    Tags:
    acordo nuclear, JCPOA, Donald Trump, Israel, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik