14:25 19 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Donald Trump, presidente dos EUA e Xi Jinping, seu homólogo chinês falam depois do encontro realizado em 7 de abril de 2017 em Mar-a-Lago

    Casa Branca: Trump não aceitará o 'politicamente correto' da China

    © AP Photo / Alex Brandon
    Américas
    URL curta
    5420

    A Casa Branca condenou neste sábado (5) os esforços da China para controlar como as companhias aéreas dos EUA se referem a Taiwan, Hong Kong e Macau, afirmando que a medida é uma "bobagem orwelliana".

    A Agência de Aviação Civil da China demandou que 36 companhias aéreas, algumas delas dos Estados Unidos, alterem a maneira como se referem a estes territórios. 

    A secretária de imprensa da Casa Branca,  Sarah Sanders, disse em um comunicado que Trump "lutou contra o politicamente correto nos Estados Unidos" e como presidente "defenderá os americanos que resistem aos esforços do Partido Comunista Chinês de impor o politicamente correto chinês às empresas e cidadãos americanos".

    "Este é um absurdo orwelliano e parte de uma tendência crescente do Partido Comunista da China de impor suas visões políticas a cidadãos americanos e empresas privadas", disse Sanders. Ela afirmou que o governo Trump está pedindo à China "que pare de ameaçar e coagir as companhias aéreas e os cidadãos americanos".

    A dura declaração ocorre logo após o retorno da China da delegação comercial de alto nível liderada pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, que esteve em Pequim para discutir o comércio com Washington. 

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, também falou neste sábado ao telefone o membro do Polituburo Yang Jiechi. Segundo comunicado, os dois "afirmaram a importância de um relacionamento bilateral construtivo e voltado para resultados".

    Mais:

    Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade
    Pequim aumenta seu poder militar no mar do sul da China
    China e Rússia são 'concorrentes estratégicos', diz secretário do Exército dos EUA
    China poderia ser excluída das negociações de paz na península coreana
    China está pronta para se tornar força motriz na reconstrução da Síria
    Índia não deve ceder às provocações americanas em relação à China, diz analista
    China critica 'entusiasmo inédito' americano em intervir em assuntos de outros países
    Analista: EUA tentarão frustrar aproximação econômica entre China e América do Sul
    Tags:
    Donald Trump, Mike Pompeo, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik