08:16 25 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Gina Haspel

    Mais de 100 oficiais aposentados pedem ao Senado não confirme Haspel como diretora da CIA

    © Foto: YouTube/The OSS Society
    Américas
    URL curta
    502

    O Senado dos EUA não devem confirmar Gina Haspel como diretora da Agência Central de Inteligência (CIA) se for demonstrado que ela participou de tortura e abusos contra presos, assim como na destruição de provas. É o que pedem mais de 100 generais aposentados, almirantes e outros oficiais em carta aos senadores.

    "Se o registro mostra que Haspel desempenhou algum papel na execução, supervisão ou direção de qualquer forma de abuso de tortura a detentos, ou a destruição de provas relacionadas a essas atividades, nós pedimos que você rejeite sua indicação", disse a carta.

    A carta citava relatos de que Haspel tinha um "local negro" da CIA na Tailândia no qual pelo menos um detento, Abd al-Rahim al-Nashiri, foi repetidamente torturado por afogamento sob sua supervisionou.

    O abaixo-assinado observou que as autoridades dos EUA destacaram a rica experiência de Haspel e o longo histórico de excelentes serviços prestados à CIA.

    "No entanto, não aceitamos os esforços para desculpar suas ações relativas à tortura e outros abusos ilícitos de detidos, oferecendo que ela estava 'apenas seguindo ordens', ou que o choque dos ataques terroristas de 11 de setembro deveria servir de desculpa para conduta ilegal e antiética", disseram os oficiais aposentados.

    Na semana passada, um grupo de mais de 50 organizações de direitos humanos também pediu ao Senado dos EUA que rejeitasse a indicação de Haspel pelas mesmas razões. O grupo também disse que Haspel teria participado da destruição de vídeos de interrogatórios usando técnicas que já foram formalmente rotuladas como tortura e banidas pelo Congresso.

    Edward Snowden
    © REUTERS / Glenn Greenwald/Laura Poitras/Courtesy of the Guardian/Handout via Reuters
    O Departamento de Justiça dos EUA investigou a destruição das fitas, mas não registrou acusações

    A indicação de Haspel foi publicamente apoiada por alguns legisladores, incluindo a senadora Dianne Feinstein, que liderou um comitê do Senado que divulgou um relatório sobre as práticas de tortura da CIA. Feinstein disse a repórteres em março que Haspel era uma boa vice-diretora da CIA e disse que esperava que "a agência aprendesse com suas lições".

    Tags:
    Departamento de Justiça dos EUA, Senado dos EUA, Congresso dos EUA, CIA, Abd al-Rahim al-Nashiri, Gina Haspel, Dianne Feinstein, Tailândia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik