06:35 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    UN secretary general Antonio Guterres

    Secretário-geral da ONU: Guerra Fria está sendo retomada

    © AP Photo / Khalil Senosi
    Américas
    URL curta
    Trump ameaça atacar a Síria (34)
    1371

    O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, se dirigiu ao Conselho de Segurança da ONU nesta sexta-feira, falando sobre a retomada da Guerra Fria diante da crise síria que opõe Estados Unidos e Rússia.

    Ele iniciou seu discurso com a questão de um suposto uso de armas químicas na cidade síria de Douma.

    "O aumento das tensões e a incapacidade de chegar a um compromisso no estabelecimento de um mecanismo de responsabilização ameaçam levar a uma escalada militar total", declarou Guterres, referindo-se às recentes alegações dos EUA e seus aliados, dizendo que Damasco estava por trás do suposto ataque químico.

    Após as acusações, os EUA anunciaram que estavam pensando em conduzir os ataques aéreos na Síria.

    O alto funcionário da ONU reiterou a forte condenação do uso de armas químicas por qualquer parte no conflito e sob quaisquer circunstâncias:

    "Eu reafirmo meu total apoio à Organização para a Proibição de Armas Químicas, à OPAQ e à sua missão de apuração de fatos ao empreender a necessária investigação dessas alegações", declarou.

    Em seu discurso no Conselho de Segurança da ONU, ele pediu a criação de um mecanismo independente para investigar o possível uso de armas químicas.

    "Eu apelo para que o Conselho de Segurança cumpra suas obrigações e não desista dos esforços para chegar a um mecanismo dedicado, imparcial, objetivo e independente para atribuir responsabilidade com relação ao uso de armas químicas", afirmou Guterres.

    O funcionário da ONU sublinhou que não havia solução militar para o conflito.

    "Reitero que não há solução militar para o conflito. A solução deve ser política, através das conversações intra-sírias de Genebra, conforme estipulado na Resolução 2254 do Conselho de Segurança e em consonância com os esforços consistentes do meu enviado especial Steffan de Mistura", disse Guterres.

    Os planos dos EUA sobre a questão síria permanecem incertos. Na última declaração da embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, ela especificou que o presidente dos EUA, Donald Trump, não havia tomado uma decisão sobre a possível ação dos EUA na Síria, apesar de sua recente postagem intempestiva no Twitter.

    Em 11 de abril, Trump postou uma observação pedindo que a Rússia "se preparasse" para mísseis americanos "bons, novos e inteligentes" na Síria, como resposta a um suposto ataque químico do governo sírio. No entanto, um dia depois ele recuou, dizendo que nunca havia dito quando um ataque à Síria aconteceria.

    Reagindo a esses tweets, Moscou pediu uma abordagem séria para a questão e se recusou a responder ao que chamou de "diplomacia do Twitter".

    Tema:
    Trump ameaça atacar a Síria (34)

    Mais:

    General: relações entre EUA e Rússia estão em fase mais perigosa do que na Guerra Fria
    Quando EUA vão se despedir das armas químicas herdadas na Guerra Fria?
    OTAN diz que não quer nova Guerra Fria ou nova corrida armamentista
    Tags:
    ataque químico, Guerra Fria, diplomacia, armas químicas, Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), Conselho de Segurança da ONU, ONU, Nikki Haley, Antonio Guterres, Donald Trump, Douma, Estados Unidos, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik