10:49 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Migrantes venezuelanos seguram de cartazes à procura de trabalho na cidade brasileira de Boa Vista, estado de Roraima, outubro de 2017.

    Crise humanitária: mais de 800 venezuelanos chegam ao Brasil por dia, afirma ACNUR

    © Foto : UNODC
    Américas
    URL curta
    632

    O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) está preocupado com o crescente número de refugiados fugindo da Venezuela para o Brasil, disse o porta-voz do organismo internacional, William Spindler, nesta sexta-feira.

    "De acordo com as últimas estimativas do governo, todos os dias, mais de 800 cidadãos da Venezuela chegam ao Brasil", afirmou Spindler em entrevista coletiva.

    Ele acrescentou que "enquanto a situação política e socioeconômica complicada em seu país continua a piorar, os venezuelanos ainda precisam de mais comida, abrigo e tratamento médico, muitos deles precisam de proteção internacional".

    Segundo dados do ACNUR, mais de 52.000 venezuelanos chegaram ao Brasil desde o início de 2017, dos quais 25.000 solicitaram asilo. Cerca de 40.000 pessoas vivem hoje em Boa Vista, capital do Estado de Roraima.

    Spindler destacou que a Acnur está trabalhando ativamente com as autoridades brasileiras para identificar, acolher e responder às necessidades dos refugiados venezuelanos.

    Os venezuelanos dispostos a se mudar de Roraima para outras partes do Brasil estão sendo levados para São Paulo e Cuiabá nesta semana, enquanto as comunidades e serviços em Boa Vista estão sobrecarregados, disse ele.

    A entidade internacional agradece ao Brasil por não fechar suas fronteiras e fazer todo o necessário para que refugiados e requerentes de asilo tenham seus direitos garantidos e prestem os serviços necessários.

    Os venezuelanos também fugiram para a Colômbia, Chile, Equador, Panamá, Argentina e Peru, enquanto outros buscaram status de refugiados nos Estados Unidos, Espanha, México e Costa Rica, segundo o ACNUR.

    Anteriormente, o ACNUR fez um apelo para levantar US$ 46 milhões para enfrentar a crise dos migrantes venezuelanos.

    O governo do presidente Nicolas Maduro em Caracas se depara com o descontentamento generalizado com a hiperinflação e a escassez de alimentos e remédios durante um quinto ano de recessão que ele atribui à hostilidade ocidental e à queda dos preços do petróleo.

    Mais:

    Venezuela suspende todos os voos da companhia aérea panamenha Copa Airlines
    Venezuela irá pagar empresa russa com criptomoeda estatal
    Policiais são suspeitos de envolvimento em incêndio que matou 68 em cadeia na Venezuela
    Tags:
    direitos humanos, refugiados venezuelanos, crise na venezuela, ONU, ACNUR, William Spindler, Nicolás Maduro, Boa Vista, Roraima, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik