17:57 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Espião trabalhando

    Jogos de espiões: norte-americanos explicam por que é difícil vigiar agentes russos

    © Fotolia / Serkat Photography
    Américas
    URL curta
    4233

    Autoridades dos EUA se queixam que os métodos e tecnologias utilizados por supostos agentes da inteligência russa operando nos Estados Unidos, não permitem monitorar suas atividades.

    De acordo com funcionários anônimos norte-americanos, citados pela Reuters, o "aumento da presença dos russos e o surgimento de comunicações criptografadas disponíveis" complicaram ainda mais a tarefa da inteligência dos EUA.

    "Agora está mais complicado. A dificuldade se deve às técnicas que podem ser utilizadas", disse um dos interlocutores da Reutres.

    A fonte da agência também afirmou que agentes russos que "penetraram e hackearam as empresas, escolas e até no governo norte-americano", recrutando ativamente tanto imigrantes russos como americanos, penetrando nas redes de computadores e criando empresas de fachada.

    Previamente, os Estados Unidos junto com 19 países da União Europeia (dos 28) e outros países expulsaram mais de 150 diplomatas russos em resposta ao suposto ataque com agente nervoso (substância A-234) contra o ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha Yulia na cidade britânica de Salisbury, Reino Unido. Londres descreveu a medida como "a maior expulsão de espiões russos desde a Guerra Fria".

    Porém, o ex-chefe da espionagem dos EUA, Michael Rochford, alertou que a expulsão em massa de "espiões" posando como diplomatas pode representar um problema para os serviços de segurança norte-americanos, pois não está imediatamente claro quem pode ser agente secreto entre os funcionários substituídos por Moscou.

    Mais:

    Opinião: Rússia erra no caso Skripal ao acreditar que lida com jogadores honestos
    Nova Zelândia pode proibir russos de entrar no país devido ao caso Skripal
    Polícia britânica diz que Skripal pode ter sido envenenado dentro de casa
    Tags:
    agentes secretos, inteligência, espionagem, FBI, Sergei Skripal, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik