04:19 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    030
    Nos siga no

    O novo assessor de segurança nacional de Trump, John Bolton, encomendou uma pesquisa da Cambridge Analytica, baseada em dados de usuários do Facebook adquiridos ilegalmente, informou a mídia local.

    O primeiro pedido de pesquisa do Comitê de Ação Política de Bolton, o Super PAC, foi feito em agosto de 2014, quando a empresa ainda estava no processo de coleta de dados dos usuários da rede social, informou o The New York Times citando ex-funcionários da empresa e registros financeiros de campanha.

    "Os dados e a modelagem que o PAC de Bolton recebeu foram derivados dos dados do Facebook. Nós definitivamente os notificamos sobre como estávamos fazendo. Conversamos sobre isso em teleconferências, em reuniões", disse um dos fundadores e ex-especialista em dados da Cambridge Analytica, Christopher Wylie, em entrevista ao jornal.

    Nos dois anos seguintes, o Comitê gastou quase US $ 1,2 milhão em uma pesquisa sociológica. De acordo com os contratos concluídos, a Cambridge Analytica prestou serviços na escolha de um público-alvo com base em dados sobre o comportamento das pessoas. A empresa descreveu o serviço como "microssegmentação comportamental com mensagens psicográficas".

    A pesquisa foi usada ainda para campanhas publicitárias, incluindo a de apoio ao senador republicano Thom Tillis, que concorreu em 2014 na Carolina do Norte.

    Na semana passada, a mídia informou que dados pessoais de cerca de 50 milhões de usuários do Facebook tinham sido colhidos sem a permissão da empresa pela consultoria Cambridge Analytica. A empresa supostamente trabalhou para várias campanhas políticas e coletou dados de contas de mídia social para desenvolver um mecanismo que pudesse prever e influenciar o comportamento dos eleitores.

    Tags:
    Carolina do Norte, Estados Unidos, John Bolton, Christopher Wylie, Comitê de Ação Política (PAC), Cambridge Analytica, Facebook
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar