05:06 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Emblema da CIA em sua sede em Langley, Virgínia, EUA

    Será que espiões estão por trás da reunião entre Trump e Kim Jong-un?

    © AP Photo / Carolyn Kaster
    Américas
    URL curta
    353

    São os serviços secretos e não os diplomatas que desempenham o papel principal na organização da reunião prevista entre o líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente dos EUA Donald Trump, segundo a mídia.

    Não são os diplomatas, mas sim a Agência Central de Inteligência (CIA) que desempenha o papel-chave na preparação do encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, escreve o diário The New York Times.

    Segundo a edição, a CIA é o ator principal no processo de estabelecimento das comunicações com a parte norte-coreana.

    A decisão da Casa Branca de usar os canais da inteligência mais do que os diplomáticos para comunicar com a Coreia do Norte é um sinal da influência de Mike Pompeo, ex-diretor da CIA e atual secretário de Estado. Isso também reflete o papel reduzido do Departamento de Estado na preparação do mais arriscado encontro entre um presidente americano e um líder estrangeiro pela primeira vez em muitos anos.

    Mike Pompeo já tinha trabalhado com os representantes de Pyongyang através do canal entre a CIA e o seu análogo norte-coreano, o Bureau General de Reconhecimento.

    Donald Trump concordou em se reunir com Kim Jong-un até os finais de maio.

    Mais:

    Diretora da CIA pode ser presa se pisar na União Europeia, diz Snowden
    Trump ameaça acordo com Irã e guerra na região ao indicar Pompeo, diz conselho iraniano
    Nova diretora da CIA já comandou centro de tortura
    Tags:
    diplomatas, espiões, reunião, CIA, Kim Jong-un, Donald Trump, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik