15:53 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Homem assiste à transmissão de notícias que mostra o presidente norte-americano Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong-un

    Dá para acreditar? Trump diz que a Coreia do Norte prometeu parar os testes de mísseis

    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Américas
    URL curta
    2265

    O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que a Coreia do Norte se comprometeu a cessar os testes de mísseis até o aguardado encontro entre ele e o líder norte-coreano Kim Jong-un, possivelmente em maio.

    "A Coreia do Norte não realizou um teste de mísseis desde 28 de novembro de 2017 e prometeu não fazê-lo através de nossas reuniões. Eu acredito que eles irão honrar esse compromisso!", escreveu Trump no Twitter.

    Na quinta-feira, o diretor sul-coreano de Segurança Nacional, Chung Eui-yong, anunciou em Washington que Kim Jong-un estava disposto a se encontrar pessoalmente com o Trump.

    A Casa Branca anunciou mais tarde que o presidente dos EUA se reunirá com o líder norte-coreano no lugar e data acordados e que, entretanto, "todas as sanções e a pressão máxima contra Pyongyang devem ser mantidas".

    Por enquanto, não há uma data exata para o encontro entre Kim e Trump, mas em um primeiro momento o presidente dos EUA mencionou o mês de maio. O local de encontro poderia ser a China, segundo avaliações e analistas internacionais.

    China e Japão apoiam

    Trump disse ainda neste sábado que a China está feliz por estar trabalhando em uma solução diplomática para a crise norte-coreana em vez de "ir com a alternativa ameaçadora", e que o Japão está "muito entusiasmado" com as negociações acordadas.

    Trump falou com o presidente chinês Xi Jinping e com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe após o anúncio do possível encontro com o líder norte-coreano Kim Jong-un.

    O presidente Donald Trump e líder norte-coreano Kim Jong Un
    © AP Photo / Evan Vucci, Wong Maye-E, File

    Trump escreveu no Twitter que ele e Xi falaram sobre essa reunião acordada e que Xi "aprecia que os EUA estão trabalhando para resolver o problema diplomaticamente em vez de lançar mão da alternativa ameaçadora".

    O presidente dos EUA já havia ameaçado a Coreia do Norte com "fogo e fúria como o mundo nunca viu".

    Trump também disse que a China, aliança e parceiro comercial mais importante da Coreia do Norte, "continua a ser útil!". O presidente estadunidense repetidamente instou a China a fazer mais para pressionar Pyongyang a abandonar seu programa nuclear.

    Trump disse em outro tweet neste sábado que Abe é "está muito entusiasmado com as negociações com a Coreia do Norte" e que os dois discutiram como reduzir o déficit comercial dos EUA e Japão. Trump escreveu: "Tudo vai funcionar!".

    Trump errou o nome de Xi como "Xinping" na primeira versão de seu tweet sobre a China, mas depois corrigiu.

    Mais:

    China manterá pressão sobre Coreia do Norte, diz Washington
    Presidente chinês elogia disposição dos EUA de dialogar com Coreia do Norte
    Nas relações com Coreia do Norte, norte-americanos seguem 'lógica de cowboys'
    Tags:
    desnuclearização, diplomacia, relações bilaterais, Xi Jinping, Shinzo Abe, Chung Eui-yong, Kim Jong-un, Donald Trump, China, Japão, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik