15:42 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Apoiadora de Alberto Fujimori pede liberdade para o ex-presidente peruano, condenado por crimes contra a humanidade (arquivo)

    Mesmo perdoado, Fujimori responderá por massacre de camponeses

    © AP Photo/ Martin Mejia
    Américas
    URL curta
    110

    O ex-presidente peruano Alberto Fujimori, perdoado por seus crimes pelo atual mandatário do país, Pedro Pablo Kuczynski, deverá ser processado pelo massacre de camponeses há 26 anos, segundo decidiu um tribunal do Peru nesta segunda-feira.

    Fujimori, acusado de corrupção e violação dos direitos humanos, recebeu um indulto de Natal no ano passado, quando cumpria pena de 25 anos por outros massacres realizados durante o seu governo. Segundo decisão de uma corte peruana, no entanto, ele terá que responder pela morte de seis pessoas no povoado de Pativilca no final de janeiro de 1992, executadas por um esquadrão paramilitar, supostamente, a mando do antigo chefe de Estado. 

    "O Colegiado B da Câmara Penal Nacional resolve que, no caso Pativilca, o direito de graça por razões humanitárias não é aplicado ao ex-presidente Alberto Fujimori. Portanto, ele não está excluído do julgamento neste caso", informou o Poder Judiciário do Peru.

    Fujimori foi eleito presidente em 1990, ao derrotar o escritor Mario Vargas Llosa. Dois anos depois, ele fechou o Congresso e vários órgãos públicos e passou a governar com as Forças Armadas, agindo com violência contra opositores. Em 2000, renunciou à presidência e fugiu para o Japão, mas não conseguiu escapar das condenações por seus crimes. Ele cumpriu 12 dos 25 anos de sua pena. 

    Mais:

    Fujimori: ex-ditador do Peru agradece indulto de seus crimes e pede perdão
    Mais de 5.000 peruanos protestam em Lima contra o perdão do ex-presidente Fujimori
    Tags:
    Pedro Pablo Kuczynski, Alberto Fujimori, Japão, Pativilca, América Latina, Peru
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik