23:30 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da França, Emmanuel Macron, recebe o presidente dos EUA, Donald Trump, em Paris. 13 de julho, 2017

    EUA e França podem se unir por segurança cibernética

    © REUTERS / Stephane Mahe
    Américas
    URL curta
    320

    Os Estados Unidos e a França realizaram conversações bilaterais para fortalecer suas relações cibernéticas e desenvolver meios para contrariar as tentativas dos atores de utilizar a internet para o terrorismo e outros crimes, anunciou o Departamento de Estado dos EUA em um comunicado de imprensa.

    "Nos dias 7 e 8 de fevereiro, os Estados Unidos e a França aprofundaram seu compromisso conjunto com um ciberespaço aberto, interoperável, confiável e seguro durante todo o diálogo cibernético bilateral do governo", disse o comunicado nesta sexta-feira (9).

    "As discussões também se concentraram nos esforços para combater atividades cibernéticas não estatais mal-intencionadas, o uso da Internet para fins terroristas e cibercrime".

    O diálogo bilateral incluiu "desafios domésticos de segurança cibernética, formas de fortalecer a segurança internacional e a estabilidade no ciberespaço e atualizações sobre esforços diplomáticos e de capacitação relacionados com o ciberespaço", afirmou o comunicado.

    Além disso, os dois países reafirmaram seu apoio ao "comportamento do Estado responsável no ciberespaço" e "adesão às normas de tempo de paz não vinculativas do estado", acrescentou o lançamento.

    A primeira reunião de ciber-relações entre os Estados Unidos e a França ocorreu em setembro de 2016.

    Mais:

    Internet do BRICS livrará países-membros de ciberataques e controle dos EUA no sistema
    Departamento de Estado dos EUA cria força-tarefa para fomentar internet em Cuba
    NSA deleta dados sobre 7 anos de grampos na internet, apesar da proibição da justiça
    Poderia a Rússia deixar EUA sem Internet ao cortar cabos de comunicação no Atlântico?
    Tags:
    ciberdefesa, Internet, França, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik