01:07 10 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    704
    Nos siga no

    A administração do presidente dos EUA, Donald Trump, está considerando reduzir o financiamento para a Estação Espacial Internacional (ISS) após o prazo de 2024 expirar, segundo um relatório preliminar. A Rússia tem considerado movimentos para sua própria parte no projeto.

    O financiamento da ISS foi prolongado pela última vez pela NASA e sua homóloga russa, a Roscosmos, em 2015. O acordo foi visto como um raio de esperança em meio às relações que se deterioram rapidamente entre os dois países.

    Mas o futuro da estação sob a administração Trump parece sombrio. Um esboço da proposta de orçamento revisado pela publicação Verge, que pode ser divulgado em 12 de fevereiro, sugere interromper a cooperação.

    Começando com o lançamento em 1998 do módulo soviético Zarya, anteriormente destinado a fazer parte da estação espacial russa Mir, a construção da ISS foi uma das maiores conquistas de engenharia para a humanidade, bem como uma vitrine para a cooperação internacional pacífica de nações anteriormente antagônicas.

    Além dos EUA e da Rússia, o projeto envolve muitos outros países, incluindo Canadá e Japão, bem como uma dúzia de nações que trabalham sob o guarda-chuva da Agência Espacial Europeia (ESA).

    Duas décadas após o seu nascimento, a estação serve de plataforma para estudar microgravidade, lançar microsatélites e testar tecnologias espaciais para várias empresas e entidades governamentais. É também um lembrete um pouco embaraçoso para a parte mais anti-russa do estabelecimento dos EUA que após a aposentadoria do programa do ônibus espacial, os astronautas da NASA têm que confiar na Rússia para ir e sair da ISS.

    Uma nova cápsula tripulada atualmente em desenvolvimento, Orion, deverá estar pronta em 2023. A Boeing e o Space X também estão trabalhando em alternativas como parte da unidade da NASA para comercializar a exploração espacial.

    A Casa Branca tem estado em uma disputa de orçamento, buscando reduzir gastos em áreas que não considera crucial para o interesse próprio dos Estados Unidos, dos programas internos à proteção ambiental doméstica.

    A estação espacial parece ser um alvo natural para esta política. O governo dos EUA investiu bilhões no posto avançado orbital ao longo dos anos. Cortar os repasses ao projeto liberaria recursos para a ambição da administração Trump de levar os EUA de volta para a lua.

    A possibilidade de os EUA sair do projeto da ISS depois de 2024 estiveram na mesa por anos, e a Roscosmos teria considerado opções sobre como proceder depois disso.

    As possíveis soluções sugeridas pelos comentadores variam de inviável — como separar a parte russa da ISS e operá-la sozinha —, substituí-la por uma nova estação espacial russa ou buscar cooperação com a China, uma nação determinada a construir sua própria estação tripulada sem depender nos outros.

    Mais:

    Cosmonauta russo voa pela Estação Espacial Internacional em cima de aspirador (VÍDEO)
    Descontrolada estação espacial chinesa esconde grande ameaça
    Jornada nas Estrelas: Tripulantes da Estação Espacial Internacional se encontram na Rússia
    Tags:
    colaboração, espaço, Estação Espacial Internacional (EEI), ISS, Agência Espacial Europeia (ESA), Roscosmos, NASA, Donald Trump, China, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar