12:41 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Imigrantes da Venezuela indo para a Colômbia.

    Mais de meio milhão de venezuelanos fugiram para a Colômbia

    © AFP 2018/ Schneyder Mendoza
    Américas
    URL curta
    725

    550 mil venezuelanos se refugiaram na Colômbia para escapar da crise econômica em seu país em 2017, disse a autoridade de migração de Bogotá nesta sexta-feira (19).

    O número representa um aumento de 62% ante 2016. Além dos 550 mil venezuelanos que permanecem na Colômbia, outros 231 mil percorreram o país em rota para o Equador.

    A crise da Venezuela "não só forçou milhares de cidadãos a retornar à Colômbia, mas também levou os venezuelanos a ver nosso país… como meio de trânsito para outros destinos, estadia ou comprar produtos essenciais", disse o coordenador da política migratória da Colômbia, Christian Kruger.

    Os vizinhos sul-americanos compartilham uma fronteira de 2.200 quilômetros.

    O ministro das Finanças da Colômbia, Mauricio Cárdenas, disse que o Governo assumiu o custo de sua "política de abertura e solidariedade" até agora.

    "Nós oferecemos atendimento médico de emergência e escola para todos os venezuelanos", disse Cárdenas.

    No entanto, ele advertiu que a Colômbia "tem limitações se esses processos migratórios escalarem".

    A autoridade de migração disse que cerca de 1,3 milhão de pessoas se registraram para um cartão de mobilidade de fronteira que lhes permite viajar entre os dois países. Deste grupo, 37 mil pessoas usaram o cartão para atravessar a fronteira diariamente em 2017.

    O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, acusou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de instalar uma ditadura e ofereceu refúgio a seus oponentes.

    O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse em uma recente visita à Colômbia que a ONU está disposta a enviar mais ajuda para ajudar Bogotá a lidar com o fluxo de migrantes.

    Mais:

    Com real forte, brasileiros desafiam violência na Venezuela
    Venezuela confirma morte de ex-militar Óscar Pérez
    México ainda não sabe se continuará mediando diálogo entre governo e oposição da Venezuela
    Salvação na prostituição: crise na Venezuela obriga mulheres a trabalhar em prostíbulos
    Tags:
    ONU, António Guterres, Juan Manuel Santos, Nicolás Maduro, Venezuela, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik