03:51 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Agentes do FBI (foto de arquivo)

    Ex-agente da CIA explica como intervenção do FBI nas eleições de 2016 passou despercebida

    © AFP 2019 / Joshua LOTT
    Américas
    URL curta
    5130

    Ex-agente da CIA, Ray McGovern, divulgou recentemente um relatório como o FBI - e não a Rússia - interferiu nas eleições presidenciais nos EUA em 2016. Em entrevista à Sputnik, ex-analista da inteligência estadunidense contou por que é tão difícil mudar a opinião dos norte-americanos quanto a este assunto.

    De acordo com o artigo de McGovern, publicado no portal Consortiumnews.com, a inteligência interna dos EUA, FBI, durante 18 meses realizou uma campanha para denegrir o candidato à presidência, Donald Trump, apoiando a outra candidata, Hillary Clinton.

    Como prova, o ex-agente da CIA cita a correspondência do agente do FBI, Peter Strzok, com sua colega e namorada, especialista em direito Lisa Page, em que, entre outras afirmações, Strzok diz poder usar sua influência para "proteger o país" de Trump.

    Além disso, McGovern lembra que o FBI, apesar de seu poderio tecnológico, nunca apresentou provas confiáveis da intervenção de Moscou nas eleições norte-americanas.

    Comentando seu artigo revelador, o ex-agente da CIA explicou à Sputnik Internacional por que os norte-americanos continuam acreditando na "intervenção russa".

    A razão principal é que a cobertura geral atribui a culpa por tal intervenção nas eleições à Rússia, sendo o artigo revelador de McGovern o único que contradiz a ideia prevalecida.

    "É muito difícil mudar a opinião e acreditar em algo muito diferente, mesmo que seja, como neste caso, baseado em prova documental", explicou.

    A correspondência revelada pelo Departamento de Justiça mostra que os altos funcionários do FBI, inclusive o chefe da contrainteligência, queriam assegurar que Trump não vencesse as eleições ou, caso vencesse, que eles poderiam afirmar que foram os russos que o ajudaram a chegar ao poder, detalhou McGovern.

    E essa visão prevalece agora na mídia norte-americana. Em outras palavras, o povo norte-americano não se dá conta do que está acontecendo na verdade, porque a mídia mostra uma perspectiva unilateral e imparcial das coisas, afirma.

    Mais:

    Mais uma 'intervenção' da Rússia nas eleições?
    Satélite perdido dos EUA poderia ser um cosmoplano da CIA
    Tags:
    agências de inteligência, campanha midiática, intervenção externa, Eleições dos EUA 2016, FBI, CIA, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar