22:57 20 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Ciberataque atingiu mais de 200 mil usuários em 150 países

    Pentágono se prepara para enfrentar 'terabyte de morte'

    Menahem Kahama/AFP
    Américas
    URL curta
    3411

    O Departamento de Defesa dos Estados Unidos assegurou que está se preparando para repelir o maior ciberataque da história, denominado 'terabyte de morte'.

    "O 'terabyte de morte' está à porta e estamos preparados para isso porque sabemos que ocorrerá", declarou o porta-voz do Pentágono, Alan Lynn. Ele lembrou que há alguns anos atrás um ataque de um ou dois gigabytes foi considerado como algo enorme.

    "Atualmente enfrentamos ataques de 600 gigabytes na Internet", disse ele.

    O Pentágono sublinhou que agora está preparado para ciberataques de maior escala contra seus sistemas, que contam com 3,2 milhões de usurários.

    Lynn se absteve de mencionar os países de onde vêm ou poderiam vir os ataques informáticos.

    Em dezembro passado o governo dos EUA declarou que a Coreia do Norte é "diretamente responsável" pelo chamado vírus "WannaCry" que atacou centenas de milhares de computadores por todo o mundo. Pyongyang negou as acusações e exigiu que Washington apresentasse  provas.

    Segundo o Europol, mais de 200 mil usuários foram afetados pelo ataque cibernético de 12 de maio de 2017, durante o qual o programa malicioso WanaCrypt0r 2.0 bloqueou computadores em 150 países. Os responsáveis pelo ciberataque exigiam um resgate em bitcoins para liberar dados roubados dos comutadores. Posteriormente foi revelado que os piratas informáticos  se apoderaram de várias ferramentas que a Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês) usava em seus programas secretos de espionagem eletrônica.

    Mais:

    Maior navio da Marinha do Reino Unido pode ser alvo fácil de ciberataque (FOTO)
    Grande ciberataque atinge Ministério do Interior da Rússia
    Aliados de Sanders descartam envolvimento da Rússia em ciberataque ao Partido Democrata
    Tags:
    ciberataque, Internet, Pentágono, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik