13:12 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Jerusalém

    Panamá nega planos para mover a embaixada de Israel para Jerusalém

    © Foto : Pixabay
    Américas
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (89)
    540

    O Ministério de Relações Exteriores do Panamá negou nesta sexta-feira informações divulgadas pela imprensa de que estaria considerando mover a sua embaixada da capital israelense reconhecida internacionalmente de Tel Aviv para Jerusalém.

    "O Ministério de Relações Exteriores reafirma que a República do Panamá manterá sua embaixada no Estado de Israel na cidade de Tel Aviv", disse a pasta em um comunicado no Twitter.

    O ministério panamenho alertou sobre "notícias falsas" que vêm de fontes não oficiais depois que vários meios de comunicação alegaram que a nação centro-americana estava avaliando uma possível mudança de sua embaixada.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, reconheceu a cidade sagrada disputada de Jerusalém como a capital de Israel no início deste mês, dizendo que a embaixada dos EUA acabaria por se mudar para lá.

    Isso desencadeou uma reação do mundo árabe e muçulmano, bem como todas as nações fundamentais da ONU, que votaram no domingo passado em favor de uma resolução anulando quaisquer decisões sobre o status de Jerusalém.

    Apenas nove países votaram contra a resolução da ONU. Um deles, a Guatemala, disse nesta segunda-feira que seguiria os passos dos EUA. A parte oriental de Jerusalém é reivindicada pelos palestinos como uma capital do seu futuro Estado.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (89)

    Mais:

    Irã vota a favor de declarar Jerusalém como 'capital eterna da Palestina'
    Retaliação: EUA cortam US$ 285 milhões em repasses à ONU após polêmica sobre Jerusalém
    Após EUA e Guatemala, Israel diz que 10 países podem levar embaixadas para Jerusalém
    Tags:
    relações bilaterais, diplomacia, embaixada, cidade sagrada, ONU, Palestina, Estados Unidos, Israel, Panamá, Jerusalém
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik