02:42 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Uma explosão nuclear (imagem ilustrativa)

    Por que ataque contra Pyongyang é 'uma ideia louca' dos EUA

    CC0 / Pixabay
    Américas
    URL curta
    416

    Se o desenvolvimento do míssil intercontinental norte-coreano iniciasse uma guerra na península, isto provocaria consequências catastróficas. Claro que a situação seria ainda pior se o país utilizasse as armas nucleares. Tais acontecimentos poderiam levar a uma catástrofe global.

    Se a devastação produzida pelas armas atômicas é bastante clara, o efeito das armas nucleares táticas é muitas vezes ignorado. Se Pyongyang utilizar as armas desse tipo para enfrentar a intervenção norte-americana, os EUA e os seus aliados vão sofrer os prejuízos mais graves do que se espera, escreve o jornal The National Interest.

    Em particular, trata-se dos efeitos de pulso eletromagnético (PEM) que podem surgir durante o ataque nuclear. O pulso eletromagnético causará um dano eletromagnético considerável para os sistemas eletrônicos, a menos que eles sejam especificamente projetados para lidar com os ataques desse tipo. Assim, as forças norte-americanas resultam em ser muito vulneráveis.

    Os analistas e funcionários militares norte-americanos não costumam comentar o assunto, devido à sua gravidade e ao nível de segurança, mas sabe-se que alguns dos dispositivos dos EUA e seus aliados estão protegidos contra as consequências do pulso eletromagnético.

    "Isto seria mais um desafio para enfrentar. O equipamento destinado a proteger os dispositivos contra o pulso eletromagnético é muito caro. Durante os últimos 25 anos, o objetivo principal relacionado com o seu design era alcançar as capacidades máximas e não reduzir o preço da tecnologia", segundo cita à mídia o tenente general aposentado da Força Aérea, David Deptula, chefe do Serviço de Inteligência dos EUA.

    Não obstante, o representante do Centro das Avaliações Estratégicas Orçamental, Bryan Clark, afirmou que a maioria dos sistemas dos EUA não são protegidos contra os efeitos do PEM. O especialista frisou que era difícil prever se a explosão nuclear causaria o efeito eletromagnético considerável e se representaria uma ameaça para os sistemas próprios norte-coreanos.

    O especialista em armas de destruição máxima, Joshua H. Pollack, destacou que se alguém iniciar um ataque contra os EUA, o país não demorará para responder. Além disso, o especialista considerou como exageradas as preocupações sobre as consequências do possível ataque.

    "Não entendo por que se pensa que o inimigo desperdiçará o seu armamento nuclear realizando experimentos com o PEM hipotético, quando poderia destruir uma cidade real", declarou o especialista militar, Joseph Cirincione.

    "O uso do PEM é uma ideia louca. Uma vez que uma arma nuclear foi usada, isso provocaria uma resposta adequada […] Os comandantes militares norte-americanos responderiam com um contra-ataque esmagador e devastador", explicou ele.

    Mais:

    Estrategista militar norte-americano revela como a humanidade acabará
    Defesa antiaérea: uma 'arma' potente norte-coreana inexplicavelmente ignorada?
    Vai colar? Presidente sul-coreano diz que Coreia do Norte também ameaça a China
    Tags:
    pulso eletromagnético, catástrofe, ataque nuclear, inteligência, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar