08:08 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Nicolás Maduro, presidente da Venezuela

    Maduro: 'Todos os atos cometidos por Israel são inválidos e devem ser interrompidos'

    © REUTERS / Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    19149

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro expressou sua solidariedade com o povo palestino diante da intensificação do conflito pelo reconhecimento americano de Jerusalém como capital israelita.

    O chefe de Estado venezuelano expressou sua rejeição à política israelense e norte-americana no Oriente Médio no âmbito da cúpula da Organização para a Cooperação Islâmica (OIC). O líder sul-americano estava presente lá como presidente do Movimento dos Países Não Alinhados (NAM), cargo que ocupará até 2019.

    Maduro expressou sua "séria preocupação" com a decisão de Washington de reconhecer Jerusalém como uma capital israelita, ignorando as resoluções das Nações Unidas.

    "Nós viemos trazer a nossa voz de solidariedade e apoio ao povo da Palestina e pela rejeição à decisão unilateral do governo dos EUA", acrescentou.

    Em nome do NAM, o presidente venezuelano leu uma declaração em que os países-membros aprovaram "todas as resoluções do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral [da ONU] relativas a Jerusalém, confirmando que é parte integrante do território palestino ocupado".

    Nesse sentido, eles pediram uma solução que defenda uma paz "justa, abrangente e sustentável" que inclua o direito à "autodeterminação, liberdade e independência do povo palestino, com Jerusalém Oriental como sua capital".

    Jerusalém Oriental, capital palestina

    A cúpula da OCI emitiu um comunicado oficial no qual pede o reconhecimento da Palestina como um Estado soberano e a parte oriental de Jerusalém como sua capital. Eles também condenaram como um ato "ilegal" a decisão estadunidense a este respeito.

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acrescentou que "qualquer um que caminha pelas ruas desta cidade santa entenderá que está sob a ocupação [israelense]".

    "A paz global e regional não pode ser alcançada até que a questão da Palestina seja resolvida de forma justa", acrescentou.

    Mais:

    Maduro diz que partido do governo venceu maioria das eleições municipais da Venezuela
    Tillerson revela quando embaixada dos EUA será transferida para Jerusalém
    Erdogan propõe reconhecimento de Jerusalém como capital da Palestina
    Tags:
    acordo de paz, islâmicos, muçulmanos, diplomacia, Movimento dos Países Não Alinhados (NAM), Organização para a Cooperação Islâmica (OIC), Conselho de Segurança da ONU, Nicolás Maduro, Jerusalém, Oriente Médio, Palestina, Israel, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar