17:59 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela Nicolás Maduro durante discurso anual na Assembleia Nacional, em Caracas, Venezuela

    Vice-presidente da Venezuela insinua que Maduro tentará a reeleição em 2018

    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Américas
    URL curta
    9116
    Nos siga no

    O vice-presidente da Venezuela insinuou nesta quarta-feira que o presidente Nicolás Maduro buscará reeleição nas eleições no próximo ano, na primeira referência pública de um funcionário de seu governo a um possível novo mandato do presidente.

    Desde que assumiu o cargo de presidente do país após a morte de Hugo Chávez em 2013, Maduro viu sua popularidade cair em meio a uma crise econômica sem precedentes.

    No entanto, o triunfo de seu partido no mês passado nas eleições regionais e as fraturas dentro da oposição deram um novo ar para o ex-motorista de ônibus de 55 anos.

    "Nós vamos ter, através de Deus através e das pessoas, a reeleição de nosso irmão Nicolás Maduro como presidente da República", disse o vice-presidente Tareck El Aissami em um ato com militantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).

    Em 10 de dezembro, a oposição e o governo se enfrentarão nas eleições municipais. A oposição não participará como uma força política nessa instância.

    Analistas e fontes da oposição dizem que, se o governo chavista vencer o pleito, as eleições presidenciais serão realizadas nos primeiros meses de 2018, em vez do final do ano, quando geralmente são celebradas.

    Mais:

    Opinião: Rússia estende a mão à Venezuela, enquanto outros a afundam
    Ministro do Brasil alerta: intervenção estrangeira só agravará crise na Venezuela
    Calote da Venezuela no Brasil pode dar espaço para conflito com potências, diz economista
    Tags:
    eleições venezuelanas, crise na venezuela, chavismo, reeleição, política, eleições, Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), Hugo Chávez, Nicolás Maduro, Tareck El Aissami, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar