21:38 08 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    134
    Nos siga no

    O Tribunal Constitucional da Bolívia, mais alta instância do Judiciário no país, autorizou nesta terça-feira (28) o presidente Evo Morales a concorrer mais uma eleição. Caso ganhe o pleito de 2019, que seria sua quarta eleição, Morales ficará por 19 anos no poder.

    Em janeiro de 2016, Morales levou a decisão sobre uma possível nova candidatura para um plebiscito. Na ocasião, 51% dos bolivianos negaram a possibilidade de disputar uma nova eleição. 

    A questão, entretanto, foi levantada novamente e o partido governista Movimento ao Socialismo (MAS) a apresentou ao Judiciário — que decidiu que Morales poderá concorrer novamente. 

    No poder desde 2006, Morales convocou uma Constituinte que aprovou a possibilidade reeleição. Já em 2010, foi reeleito com 64% dos votos. Conseguiu concorrer de novo em 2014 após a Justiça interpretar que as novas regras são válidas apenas para mandatos posteriores à nova Constituição e que, portanto, estaria em seu primeiro mandato. Venceu novamente. 

    A decisão do Tribunal Constitucional foi comemorada por sindicatos e partidos favoráveis ao presidente, mas também foi alvo de críticas.

    Os ex-vice-presidentes da Bolívia Jorge Quiroga (2001-2002) e Carlos Mesa (2003-2005) afirmaram que a democracia do país sofreu um "golpe" com a decisão da Justiça. O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, também fez críticas ao processo.

    Caso Morales vença as próximas eleições, previstas para 2019, ele ficará até 2025 no poder, completando um total de 19 anos como presidente. 

    Mais:

    Evo Morales: EUA executam golpe financeiro contra Venezuela
    Ex-assessor de Evo Morales é preso por tráfico de drogas em São Paulo (FOTO, VÍDEO)
    Presidente da Bolívia anuncia atos para recordar 50 anos da morte do Che Guevara
    Bolívia apoiará candidatura equatoriana ao Conselho de Segurança da ONU
    Bolívia instala Comissão da Verdade para investigar crimes de ditaduras
    Bolívia condena sanções dos EUA contra Rússia
    Tags:
    Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, Evo Morales, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar