07:07 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Armamento das FARC, foto de fevereiro de 2017

    'Não haverá hesitação' contra combatentes das FARC que não abandonaram a via armada

    © AP Photo / Fernando Vergara
    Américas
    URL curta
    310

    Os membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) que não abandonaram a via armada e se juntaram a grupos de tráfico de drogas conhecerão a força do Exército da Colômbia, afirmou o presidente Juan Manuel Santos nesta quinta-feira (23).

    Mais de 11 mil membros das FARC entregaram suas armas este ano como parte de um acordo de paz com o Governo para acabar com uma guerra civil de mais de cinco décadas. O grupo manteve suas iniciais e agora irá atuar como um partido político.

    Mas a Colômbia estima que 800 ex-guerrilheiros não se desmobilizaram.

    O partido dos ex-combatentes é a Força Alternativa Revolucionária do Comum, que já condenou publicamente os que não abandonaram as armas.

    "Vamos jogar tudo sobre esses dissidentes", disse o presidente Santos. "Não haverá hesitação".

    O mandatário colombiano afirmou que o número de dissidentes é menor que o usual (15%) em acordos deste tipo.

    Relatório da Anistia Internacional apontou que apesar de uma redução no número de morte de civis, o conflito continua em várias partes do país devido à presença de grupos criminosos e do Exército de Libertação Nacional (ELN). 

    Mais:

    FARC mantêm guerrilha, agora na política
    Presidente colombiano perdoa 3.600 ex-guerrilheiros das FARC
    Colômbia irá financiar criação do futuro partido das FARC
    Colômbia aprova lei de anistia para FARC
    Comandantes das FARC são expulsos do grupo de guerrilha por 'minar a paz'
    Tags:
    ELN, FARC, Juan Manuel Santos, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik