11:30 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Cubano acena positivamente de sua varanda decorada com as bandeiras dos EUA e de Cuba

    'Vai pra Cuba': Havana adota medida para receber 800 mil expatriados após bloqueio dos EUA

    © AFP 2019 / YAMIL Lage
    Américas
    URL curta
    622

    A ilha resolveu remover restrições que pesavam sobre cubanos expatriados após medidas imigratórias restritivas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

    De acordo com o ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, já a partir de 2018 não será mais necessário habilitar o passaporte cubano para viajar à ilha. Além disso, cubanos que deixaram a ilha ilegalmente também terão a entrada garantida e sua saída, assegurada por meio de duas marinas turísticas. O bloqueio só valerá para aqueles que deixaram o país a partir da base naval americana de Guantánamo.

    As novas regras seguem uma toada mais aberta da política imigratória cubana. Em 2013, as autoridades do país já tinham acabado com a exigência de cidadãos  solicitarem de permissão para viajar ao exterior.

    Rodríguez acusou os EUA de minar o direito de famílias cubanas visitarem parentes em solo estadunidense ao suspender vistos e reduzir pessoal diplomático em Havana. Na prática, para ir à Terra do Tio Sam, os cubanos agora são obrigados a visitar o consulado na Colômbia e passar por entrevistas em Bogotá, o que acabava minando o reencontro com expatriados que temiam punições por voltarem à ilha.

    "É inaceitável e imoral que o governo estadunidense tenha decidido apoiar decisões de natureza política que prejudicam o povo cubano", disse o chanceler. Ele completou dizendo que enquanto "o governo dos Estados Unidos se fecha, Cuba se abre".

    Os EUA retiraram pessoal da ilha, expulsaram diplomatas cubanos e barraram vistos depois que 20 diplomatas estadunidenses sofreram um ataque sônico desconhecido que causou desde surdez temporária até convulsão cerebral. A causa e os atores dos ataques seguem desconhecidos.

    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, Bogotá, Estados Unidos, Guantánamo, Colômbia, Havana, Cuba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar