04:21 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente John Kennedy durante discurso de tomada de posse, em 20 de janeiro de 1961

    Trump permitirá que sejam abertos arquivos secretos sobre assassinato de Kennedy

    © AP Photo /
    Américas
    URL curta
    780
    Nos siga no

    Em 26 de outubro, nos EUA termina o prazo para decidir o que fazer com os arquivos classificados da CIA e do FBI sobre o ataque contra John F. Kennedy.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou em sua conta no Twitter que abrirá todos os arquivos classificados sobre o assassinato de John F. Kennedy.

    "Permitirei, como presidente, abrir os arquivos bloqueados e classificados por muito tempo sobre JFK", anunciou o líder estadunidense.

    Com este anúncio, o chefe da Casa Branca descartou o artigo na edição Politico, que, sem revelar nomes oficiais do governo ou fontes da administração, afirmou que Trump estaria bloqueando a publicação de milhares de arquivos secretos relacionados ao assassinato de Kennedy.

    De acordo com a mídia, é pouco provável que os documentos secretos sejam publicados, uma vez que os arquivos da década de 90 — muitos dos quais foram criados pela CIA — poderiam expor operações de Inteligência relativamente recentes.

    Em 26 deste mês termina o prazo para decidir o que fazer com os mais de 3.000 arquivos classificados da CIA e do FBI sobre o ataque efetuado em 1963 e que formam parte dos Arquivos Nacionais.

    Este prazo foi estabelecido pelo Congresso em uma lei assinada pelo presidente George Bush em 1992 para tentar acabar com as teorias da conspiração em torno do assassinato de Kennedy.

    Mais:

    Propagandas norte-coreanas pregam 'completa obliteração de Trump cachorro louco' (FOTOS)
    Hillary: Trump age de maneira 'perigosa e míope' em guerra de palavras com Coreia do Norte
    Verdadeira Melania Trump foi substituída por uma dublê? Teoria bomba na internet (VÍDEO)
    Tags:
    arquivos, inteligência, serviços secretos, FBI, CIA, John F. Kennedy, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar