11:08 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Base militar dos EUA, Guam

    Guam pede ao Pentágono para interromper construções militares por escassez de mão de obra

    © REUTERS / Major Jeff Landis,USMC (Ret.)/Naval Base Guam/Handout/File Photo
    Américas
    URL curta
    210
    Nos siga no

    Na sexta-feira passada (29), o governador da ilha norte-americana de Guam apelou ao Departamento de Defesa do país para interromper construção militar na região, mencionando escassez severa de trabalhadores estrangeiros qualificados.

    Poucos anos atrás, Guam contava com mais de 1.000 trabalhadores estrangeiros. Contudo, depois de funcionários federais de imigração iniciarem a negar vistos H-2B para mão de obra estrangeira a empresários de Guam, o número diminuiu para menos de 100.

    A escassez afetou de forma negativa a viabilidade e custo de projetos de construção tanto militares quanto civis, impulsionando o início de abertura de processos por empresas locais em 2016 devido às negações.

    De acordo com o governador de Guam, Eddie Calvo, a ilha já não tem mais capacidade de prover construções militares. A autoridade pediu para que as diretrizes sejam reavaliadas pelo Pentágono, bem como que as construções sejam interrompidas até resolução da situação e aprovação dos vistos H-2B.

    Agentes federais negam vistos desde a época do governo de Brack Obama; a política de negação de vistos continua na administração do atual presidente dos EUA, Donald Trump.

    "Infelizmente, a negação de H-2B, que foi iniciada pela burocracia da administração de Barack Obama, continua sendo realizada", assinalou Calvo, citado pela edição Pacific Daily News.

    "Assim, esta prática não apenas impede o desenvolvimento da economia da ilha, mas, em minha opinião, põe a segurança e a população da ilha em risco."

    Apesar de Calvo ter apelado ao Departamento do Trabalho, da Defesa e da Segurança Interna dos Estados Unidos e ao Serviço de Cidadania e Imigração, indicando exorbitantes custos e poucas propostas para construção, causados pela falta de trabalhadores estrangeiros, até então nenhuma resolução foi encontrada. 

    "Trata-se de uma ameaça clara e evidente à segurança e à saúde dos residentes de Guam", alarmou Calvo.

    Na semana passada, a Câmara Legislativa de Guam aprovou resolução para suspender construção de um campo de treino de fogo real na base Andersen da Força Aérea dos EUA. 

    Mais:

    General dos EUA: Guam está 'bem protegida' contra ataques de mísseis norte-coreanos
    Será que Coreia do Norte afinal não está pronta para atacar Guam?
    Kim Jong-un diz que míssil que sobrevoou Japão foi ensaio para ataque a Guam
    Tags:
    ilha, segurança, Pentágono, Eddie Calvo, Guam, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar