17:30 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Los rebeldes del Ejército de Liberación Nacional (ELN) sostienen un estandarte en las selvas del noroeste de Colombia

    Igreja Católica e ONU irão monitorar cessar-fogo entre guerrilha e Governo da Colômbia

    © REUTERS / Federico Rios
    Américas
    URL curta
    611
    Nos siga no

    A trégua entre rebeldes do Exército de Liberação Nacional (ELN) e o Governo da Colômbia será monitorada pela Igreja Católica e pela Organização das Nações Unidas (ONU). A suspensão do conflito está prevista para iniciar no primeiro dia de outubro.

    Membros do ELN e das forças de segurança estatais também farão parte da equipe de monitoramento — que terá direito a posse de armas. 

    Igreja Católica e ONU devem intermediar em caso de desacordo entre as partes, produzir informes sobre o processo, escrever relatórios e recomendações e atuar como porta-voz.

    O acordo entre Governo e o grupo rebelde foi anunciado em 4 de setembro após as duas partes reunirem-se em Quito, no Equador. A trégua está prevista para até o dia 9 de janeiro de 2018.

    O ELN é o último grupo rebelde em atividade na Colômbia após as Forças Armadas Revolucionárias (FARC) deixarem a via armada e iniciarem seu processo de conversão em um partido político

    Mais:

    Trump pede que Santos combata tráfico de drogas na Colômbia
    Colômbia rechaça decisão da Venezuela de remover canais colombianos
    Ex-procuradora-geral da Venezuela deixa a Colômbia com destino ao Brasil
    Exploração ilegal de ouro na Colômbia terminou em tragédia
    Tags:
    FARC, ELN, ONU, Juan Manuel Santos, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar