20:42 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    871
    Nos siga no

    Ao longa da semana que se encerrou nesta sexta-feira (22), o Exército do Brasil e do Paraguai simularam um ataque de companhia de fuzileiros mecanizados por meio de um exercício militar conjunto. É a Operação Paraná.

    "O exercício em si não procura combater nenhuma das ameaças que existem na tríplice fronteira. É simplesmente executada nessa área porque temos uma fronteira comum entre ambos os países, as unidades militares mais próximas são as que estão empregadas", afirmou major Diego Torres, chefe de Comunicação do Exército do Paraguai. 

    Em entrevista para a Sputnik Mundo, Torres também esclareceu que todos os armamentos utilizados no treinamento são do Exército Brasileiro. Como trata-se de um treinamento, não foi utilizada munição real. 

    A importância da atividade também foi destacada pelo major Rodrigo Ribeiro, oficial de comunicação da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada do Exército Brasileiro, em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil. "O objetivo é ampliar os laços de intercâmbio e amizade entre os dois países", afirmou Ribeiro. 

    ​O exercício militar ocorreu em Cascavel, no Paraná. Segundo o major Rodrigo Ribeiro, a extensão territorial da tríplice fronteira — divisa dos territórios de Argentina, Brasil e Paraguai — favorece o transporte de de cargas ilícitas e o tráfico de armas e drogas.

    Mais:

    Tropas do Exército chegam para cerco e combate à guerra de traficantes na Rocinha (VÍDEOS)
    Ministro da Defesa autoriza envio do Exército para a Rocinha, no Rio de Janeiro
    Exército norte-americano testa nova arma de raio laser (VÍDEO)
    Exército Sírio é atacado a partir de área ocupada por EUA e FDS
    Exército sírio cruza Eufrates a leste de Deir ez-Zor e avança contra Daesh
    Tags:
    Exército Brasileiro, Tríplice Fronteira, Paraguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar