19:00 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    101
    Nos siga no

    Na madrugada desde domingo (17), no oceano Atlântico se formou outra tempestade tropical que nas próximas horas se transformará em furacão e afetará as zonas que já foram destruídas pelo furacão Irma, informa a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA (NOAA, sigla em inglês).

    Trata-se da tempestade Maria, que por enquanto se localiza na parte oriental do mar do Caribe, a cerca de 740 quilômetros a sudeste das Pequenas Antilhas e está se dirigindo em direção noroeste com ventos de até 100km/hora. De acordo com as previsões da NOAA, nas próximas 48 horas, a tempestade se fortalecerá e se tornará um furacão de categoria 1. 

    Já foram emitidos alertas para Barbados, Santa Lúcia, Martinica, São Vicente e Granadinas, Dominica e São Martinho, bem como para Antígua e Barbuda, São Cristóvão e Nevis, Montserrat e Guadalupe. Assim, Maria voltará a atormentar várias ilhas caribenhas que na semana passada já foram devastadas pelo furacão Irma. 

    Neste sábado (16), no Atlântico oriental se formou ainda outra tempestade tropical: a Lee. Contudo, as previsões indicam que este ciclone não se intensificará e que nas próximas 48 horas provavelmente passará a depressão tropical sem atingir a terra. 

    Estas novas tempestades atlânticas se juntam ao furacão José, que está a cerca de 680 quilômetros a leste do Cabo Haterras (Carolina do Norte, Estados Unidos), e que pode atingir o território dos EUA em breve. 

    Mais:

    Autor conta como foi feita foto mais popular da passagem do furacão Irma por Cuba
    Identificado monstro que foi arrastado pelo furacão Harvey para Texas (FOTOS)
    Quando natureza ataca: não brinque com o furacão Irma
    Tags:
    furacão Irma, alerta, tempestade, Furacão Irma, Caribe, Estados Unidos, Cabo Haterras, Carolina do Norte, Guadalupe, Montserrat, São Cristóvão, Antígua e Barbuda, São Martinho, Dominica, São Vicente e Granadinas, Martinica, Santa Lúcia, Barbados, mar do Caribe
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar