08:26 28 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Teste nuclear nos EUA (4)
    256
    Nos siga no

    Os norte-americanos realizaram um segundo teste de voo da bomba B61-12, que será produzida a partir de 2020.

    Conforme explicam as autoridades estadunidenses, a bomba está sendo modernizada para reforçar a segurança nacional dos Estados Unidos. De acordo com a Administração Nacional de Segurança Nuclear, a nova alteração deve substituir as versões obsoletas B61-3, B61-4, B61-7 e B61-10.

    Como enfatizou o ex-secretário de Energia dos EUA, Ernest Moniz, a versão modernizada da bomba terá um tamanho menor. Espera-se que seja compatível com a nova geração de caças de combate, como o Joint Strike Fighter F-35.

    Uma característica particular da nova bomba é também a sua cauda de guiamento de precisão, que a torna mais controlável. Portanto, não há necessidade de voar diretamente sobre o alvo e lançá-la de paraquedas. Pode ser lançada a partir de um avião voando a grande altitude e cair de forma controlada, de acordo com a trajetória planejada.

    Os Estados Unidos planejam colocar novas bombas B61-12 em suas bases militares na Europa: Alemanha, Itália, Turquia, Bélgica e Países Baixos. Ao mesmo tempo, várias organizações não-governamentais e oficiais da União Europeia protestam contra a instalação destas bombas nucleares em seu território.

    Imagem de um dos bombardeiros B-1B Lancer dos EUA
    © REUTERS / U.S. Air Force photo/Staff Sgt. Joshua Smoot
    Segundo os analistas entrevistados pelo portal Gazeta.ru, a medida prevista pelos norte-americanos é dirigida não só contra a Rússia. Assim, o diretor do Instituto de Análise Política e Militar, Aleksandr Khramchikhin, acredita que o círculo de potenciais inimigos dos EUA inclui também a China, a Coreia do Norte e o Irã.

    No entanto, de acordo com Konstantin Sivkov, presidente da Academia de Problemas Geopolíticos e doutor em Ciências Militares, esta é uma bomba de queda livre e não um míssil, ou seja, a aeronave que a lance deve superar o sistema de defesa antiaérea.

    "Dado que o sistema de defesa antiaérea da Rússia é agora muito bom, vai ser difícil superá-lo", explicou Sivkov.

    Tema:
    Teste nuclear nos EUA (4)

    Mais:

    Donald Trump: arsenal nuclear dos EUA está mais forte do que nunca
    Mídia: EUA elaboram 'bomba digital' contra Rússia
    EUA vão desenvolver míssil de cruzeiro capaz de levar ogiva nuclear
    Tags:
    EUA, Europa, Rússia, bomba nuclear, segurança nacional
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar