07:54 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O destróier USS John S. McCain (DDG 56) da Marinha dos EUA  (foto de arquivo)

    Aliados alertam EUA: incidentes como do USS John McCain 'podem agravar a crise coreana'

    CC BY-SA 2.0 / Naval Surface Warriors / 170614-N-DL434-064
    Américas
    URL curta
    Incidente com o USS John McCain (12)
    1861

    Washington e seus aliados estão seriamente preocupados com o incidente com o destróier norte-americano USS John S. McCain devido ao fato de este navio fazer parte da Sétima Frota da Marinha dos EUA, que está especificamente encarregada de conter a Coreia do Norte, disse o especialista russo em assuntos militares em entrevista à Sputnik.

    Washington e seus aliados estão seriamente preocupados com o incidente com o destróier norte-americano USS John S. McCain devido ao fato de este navio fazer parte da Sétima Frota da Marinha dos EUA, que está especificamente encarregada de conter a Coreia do Norte, disse o especialista russo em assuntos militares em entrevista à Sputnik.

    Nesta segunda-feira, a Marinha dos EUA suspendeu suas operações por todo o mundo depois de o USS John S. McCain ter colidido com o navio mercante Alnic MC perto do estreito de Malaca, deixando pelo menos cinco marinheiros feridos.

    Em entrevista à Sputnik, o analista político Aleksandr Safonov disse que é natural os EUA e seus aliados ficarem muito alarmados com o incidente.

    "Eu acredito que a causa da colisão é a 'bagunça' geral que está acontecendo na Sétima Frota, tomando em conta que este não é o primeiro episódio que causou vítimas humanas", disse Safonov.

    "Por que este incidente causou uma ressonância pública tão grande? Porque a pergunta principal feita pelos aliados dos EUA, incluindo a Coreia do Sul e Japão, é o que acontecerá, Deus nos livre, caso a Sétima Frota, que está tão 'bagunçada', de alguma forma contribua para a crise em torno da Península da Coreia", adicionou Safonov.

    O especialista recordou que "foi o USS John McCain e outros navios da Sétima Frota que foram enviados em missão para conter a Coreia do Norte".

    Ele apontou especificamente para a situação tensa em torno da Península da Coreia que, segundo ele, contribuiu para a discussão acalorada relacionada com o incidente do USS John S. McCain.

    "Eu acho que agora a chefia da Marinha dos EUA vai tomar medidas necessárias para acalmar os aliados. É preciso garantir a máxima coerência, clareza e exclusão de qualquer surpresa fatal que, como podemos observar, pode ter lugar teoricamente", concluiu Safonov.

    Nesta segunda-feira (21), às 5h24 GMT, o destróier John S. McCain chocou com o navio mercante Alnic MC, entre o estreito de Malaca e Singapura, onde o destróier faria uma escala de rotina no porto local.

    Tema:
    Incidente com o USS John McCain (12)

    Mais:

    Incidente envolvendo o destróier John McCain deixou inquietos os aliados dos EUA
    Após colisão de destróier dos EUA com navio mercante, 10 marinheiros desaparecidos
    Comando do destróier USS Fitzgerald foi demitido após colisão mortífera em junho
    Tags:
    agravamento, colisão, aliados, navio, crise, Sétima Frota dos Estados Unidos, Marinha dos EUA, Coreia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik