20:46 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil de cruzeiro Tomahawk

    EUA querem ensinar os Tomahawk a atacar alvos móveis

    © AP Photo / John McCutcheon
    Américas
    URL curta
    1728
    Nos siga no

    Durante o período pós-soviético, os EUA renunciaram aos seus mísseis mar-mar Tomahawk, mas o Pentágono poderá voltar a precisar deles.

    A empresa Raytheon e a Marinha norte-americana anunciaram o desenvolvimento de um material destinado à transformação dos mísseis de cruzeiro Tomahawk existentes, que só conseguem atingir alvos imóveis, em mísseis mar-mar capazes de acertar em qualquer alvo móvel, comunica o portal USNI News.

    A Raytheon estima que os trabalhos de concepção da nova ogiva para os mísseis mar-mar vão levar dois anos. Esta ogiva vai ser muito mais complexa do que as que equipam os mísseis existentes destinados a destruir alvos imóveis.

    Diferentemente dos mísseis russos Kalibr, os mísseis Tomahawk são capazes de voar apenas a uma velocidade subsônica. Assim, eles podem precisar de cerca de duas horas para alcançar o alvo. Mas o alvo pode alterar sua localização e os misseis terão que buscá-lo de novo, o que será um processo difícil sem a ogiva modernizada.

    Os desenvolvedores exigirão mais dois anos para testar o novo equipamento e só depois poderão fornecer os mísseis à Marinha norte-americana.

    Atualmente os EUA contam com 4 mil mísseis Tomahawk.

    Mais:

    Japão pondera adquirir mísseis Tomahawk no meio da tensão com a Coreia do Norte
    Tudo que tem que saber sobre os mísseis Tomahawk lançados contra Síria
    Tags:
    material, defesa, equipamento, desenvolvimento, modernização, mísseis, Tomahawk, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar