12:59 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Rex Tillerson, novo secretário de Estado dos EUA

    EUA auguram 'futuro sombrio' para Pyongyang

    © AFP 2017/ BEN STANSALL
    Américas
    URL curta
    29324028

    Rex Tillerson assegurou à imprensa que seu país responderá sem contemplações caso Kim Jong-un decida atacar seus territórios no Oceano Pacífico ou os de qualquer de seus aliados. O Japão reafirma suas relações militares com os EUA.

    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, reiterou esta quinta-feira (17) que a Coreia do Norte vai enfrentar um "futuro sombrio" caso se negue a negociar o desarmamento. O aviso foi formulado durante um encontro do Comitê Consultivo de Segurança entre o Japão e os EUA.

    "Em estreita colaboração com nossos aliados", acrescentou Tillerson se referindo ao país nipônico, "caso a República Popular Democrática da Coreia inicie hostilidades, isso terá graves consequências militares". 

    Na conferência Tillerson foi acompanhando pelo secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, e ambos se encarregaram de comunicar que, caso a Coreia do Norte lance um míssil, os EUA tomarão medidas imediatas e concretas para derrubá-lo. 

    ​Anteriormente, o estrategista principal do presidente Donald Trump, Steve Bannon, afirmou publicamente que não haverá uma solução militar para o que considerou um conflito diplomático. Isto gerou uma polêmica na qual a Administração republicana contradisse suas palavras.

    Tillerson preferiu não mencionar as declarações de Bannon, mas assegurou que os EUA "são muito claros quanto à política e à postura da Coreia do Norte", e afirmou: "Nossa abordagem foi aprovada pelo presidente".

    As tensões e o uso de uma retórica belicista não pararam de aumentar desde que Pyongyang anunciou a possibilidade de seu líder, Kim Jong-um, lançar um ataque de mísseis contra a ilha de Guam, um território no Oceano Pacífico pertencente aos EUA.

    Mais:

    EUA pedem que Brasil, Chile, México e Peru rompam laços diplomáticos com Coreia do Norte
    Solidão de Washington: por que a Europa recusa apoiar os EUA
    Cadê 'fogo e fúria'? Por que nem EUA, nem Pyongyang realizam suas temíveis promessas
    Tags:
    colaboração, míssil, James Mattis, Steve Bannon, Rex Tillerson, Japão, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik