14:11 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Emblema oficial da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018

    Senadores dos EUA querem tirar Copa da Rússia por suposto uso de 'escravos norte-coreanos'

    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    Américas
    URL curta
    21316
    Nos siga no

    Um grupo de oito senadores dos Estados Unidos solicitou que a FIFA considere retirar da Rússia o direito de sediar a Copa do Mundo do ano que vem. O motivo seria o suposto uso de trabalhadores norte-coreanos, que estariam sendo explorados nas obras em andamento para o evento.

    Os parlamentares, liderados pelo democrata Bob Menendez, enviou à FIFA uma carta em que pede que uma investigação seja aberta pela entidade máxima do futebol, a fim de investigar as ilações de que a Rússia estaria tirando vantagem de trabalhadores da Coreia do Norte.

    Para os senadores estadunidenses, a FIFA deve “considere desqualificar a Rússia como anfitriã da Copa do Mundo de 2018 se uma investigação independente determinar que o governo russo ou o comitê organizador local tiver sido cúmplice ao sujeitar os trabalhadores da construção da Coreia do Norte ao trabalho forçado”.

    No começo deste ano, a revista norugeguesa Josimar publicou uma reportagem em que afirmava que ao menos 100 norte-coreanos sofreram com longas horas de trabalho na construção do estádio que vai receber a Copa em São Petersburgo.

    Além disso, os senadores dos EUA pediram que a FIFA expulse a Coreia do Norte do seu quadro esportivo, em razão das “graves violações dos direitos humanos” encampadas por Pyongyang contra a sua própria população.

    “Um governo que seja um dos principais transgressores dos direitos humanos no mundo não deve ter legitimidade internacional e se beneficiar financeiramente do esporte mais popular do mundo”, destacou o documento enviado pelos senadores dos EUA.

    Os norte-coreanos que trabalham no exterior são obrigados a enviar uma grande parte dos seus rendimentos ao regime de Kim Jong-un enquanto trabalham em condições difíceis e enfrentam violações de direitos humanos.

    A Copa de 2018 acontece em 11 cidades russas entre os dias 14 de junho e 15 de julho.

    Mais:

    Países árabes pedem que FIFA transfira Copa do Mundo de 2022 do Qatar
    7 a 1: Brasil chega como favorito à Copa do Mundo de 2018?
    Escravidão é hoje 30 vezes mais lucrativa do que nos séculos 18 e 19, diz estudo
    Número de casos de trabalho escravo cai, mas esta não é uma boa notícia
    Tags:
    futebol, esporte, emprego, trabalho, escravidão, trabalho escravo, Copa 2018, FIFA, Bob Menendez, Estados Unidos, Rússia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar