23:12 20 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Opositor de Nicolás Maduro, Leopoldo López foi ovacionado pelos seus apoiadores após ser libertado em Caracas, na Venezuela

    Maduro deve garantir a segurança e libertar opositores, afirma Trump

    © AFP 2018/ Federico Parra
    Américas
    URL curta
    1618

    O presidente estadunidense Donald Trump afirmou nesta terça-feira que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é responsável pela segurança dos dois líderes oposicionistas presos horas mais cedo, de acordo com comunicado divulgado pela Casa Branca.

    O republicano pediu ainda a imediata libertação de ambos – Leopoldo López e Antonio Ledezma foram detidos na madrugada desta segunda-feira, horas após a eleição para a Assembleia Constituinte que irá reformar a Constituição venezuelana.

    “Os EUA afirma que Maduro — que anunciou publicamente poucas horas antes que ele se moveria contra sua oposição política – é pessoalmente responsável pela saúde e segurança do Sr. López, do Sr. Ledezma e de todos os outros detidos. Reiteramos o nosso apelo à libertação imediata e incondicional de todos os prisioneiros políticos”, disse Trump.

    López e Ledezma foram presos sob a alegação de terem violado os termos da prisão domiciliar, informou a mídia local, citando a Suprema Corte venezuelana. Ambos os políticos foram detidos depois que a agência de inteligência da Venezuela determinar que eles estavam planejando sua fuga do país, informou o jornal El Nacional.

    Ledezma, ex-prefeito de Caracas, foi preso em 2015 e passou quatro meses de prisão antes de ser preso na prisão domiciliar. López foi detido há três anos após os protestos contra Maduro e condenado a mais de uma década de prisão. Ele foi transferido para prisão domiciliar em julho, depois de passar três anos na prisão.

    No domingo, a Venezuela realizou as eleições para selecionar membros da Assembleia Constituinte, que será encarregada de reescrever a Constituição do país. Os resultados da votação não foram reconhecidos pela oposição, que afirmou que a decisão de convocar a assemblaia deve ser feita por referendo.

    Filho de Maduro compõe Constituinte

    Conhecido como Nicolasito, Nicolás Ernesto Maduro Guerra é filho do presidente da Venezuela e estará presente como um dos 545 membros da Assembleia Constituinte. Aos 27 anos, ele terá ao seu lado a madrasta, Cilia Flores, de 60 anos, atual esposa de Maduro pai. Será a primeira aparição como figura pública de Guerra.

    De acordo com a Agência AFP, Nicolasito é economista de formação e já foi chefe do instituto nacional de cinema e trabalhou no escritório anticorrupção da Presidência venezuelana.

    Mais:

    'Cuba afirma que foi lançada uma operação internacional bem coordenada' contra a Venezuela
    Líder do Brexit diz que Venezuela está 'a beira do desastre'
    UE condena uso excessivo da força pelas autoridades durante protestos na Venezuela
    Venezuela: Oposição não reconhece Constituinte e convoca novos protestos
    Tags:
    diplomacia, política, crise na venezuela, Assembleia Constituinte, Nicolás Ernesto Maduro Guerra, Cilia Flores, Antonio Ledezma, Nicolás Maduro, Leopoldo López, Donald Trump, Estados Unidos, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik