16:00 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    018
    Nos siga no

    O presidente estadunidense Donald Trump afirmou nesta terça-feira que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é responsável pela segurança dos dois líderes oposicionistas presos horas mais cedo, de acordo com comunicado divulgado pela Casa Branca.

    O republicano pediu ainda a imediata libertação de ambos – Leopoldo López e Antonio Ledezma foram detidos na madrugada desta segunda-feira, horas após a eleição para a Assembleia Constituinte que irá reformar a Constituição venezuelana.

    “Os EUA afirma que Maduro — que anunciou publicamente poucas horas antes que ele se moveria contra sua oposição política – é pessoalmente responsável pela saúde e segurança do Sr. López, do Sr. Ledezma e de todos os outros detidos. Reiteramos o nosso apelo à libertação imediata e incondicional de todos os prisioneiros políticos”, disse Trump.

    López e Ledezma foram presos sob a alegação de terem violado os termos da prisão domiciliar, informou a mídia local, citando a Suprema Corte venezuelana. Ambos os políticos foram detidos depois que a agência de inteligência da Venezuela determinar que eles estavam planejando sua fuga do país, informou o jornal El Nacional.

    Ledezma, ex-prefeito de Caracas, foi preso em 2015 e passou quatro meses de prisão antes de ser preso na prisão domiciliar. López foi detido há três anos após os protestos contra Maduro e condenado a mais de uma década de prisão. Ele foi transferido para prisão domiciliar em julho, depois de passar três anos na prisão.

    No domingo, a Venezuela realizou as eleições para selecionar membros da Assembleia Constituinte, que será encarregada de reescrever a Constituição do país. Os resultados da votação não foram reconhecidos pela oposição, que afirmou que a decisão de convocar a assemblaia deve ser feita por referendo.

    Filho de Maduro compõe Constituinte

    Conhecido como Nicolasito, Nicolás Ernesto Maduro Guerra é filho do presidente da Venezuela e estará presente como um dos 545 membros da Assembleia Constituinte. Aos 27 anos, ele terá ao seu lado a madrasta, Cilia Flores, de 60 anos, atual esposa de Maduro pai. Será a primeira aparição como figura pública de Guerra.

    De acordo com a Agência AFP, Nicolasito é economista de formação e já foi chefe do instituto nacional de cinema e trabalhou no escritório anticorrupção da Presidência venezuelana.

    Mais:

    'Cuba afirma que foi lançada uma operação internacional bem coordenada' contra a Venezuela
    Líder do Brexit diz que Venezuela está 'a beira do desastre'
    UE condena uso excessivo da força pelas autoridades durante protestos na Venezuela
    Venezuela: Oposição não reconhece Constituinte e convoca novos protestos
    Tags:
    Venezuela, Estados Unidos, Donald Trump, Leopoldo López, Nicolás Maduro, Antonio Ledezma, Cilia Flores, Nicolás Ernesto Maduro Guerra, Assembleia Constituinte, crise na venezuela, política, diplomacia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar