19:08 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Grupo de abelhas está fazendo mel

    Mel venenoso: 'ingrediente de Monsanto' está matando apicultura

    © Sputnik/ Igor Podgorny
    Américas
    URL curta
    7232148

    O uso do polêmico herbicida glifosato em plantações de soja está causando dores de cabeça em outros setores agrícolas.

    Este herbicida diminui a qualidade do mel, ou seja, está matando a apicultura da América Latina.

    Na última década, a produção de soja no Cone Sul tem aumentado exponencialmente. O uso de sementes geneticamente modificadas e a aplicação de herbicidas provocam a indignação do povo, porque, além de causarem problemas de saúde na população, destroem a flora e a fauna.

    Um dos herbicidas mais odiosos é o glifosato que é comercializado pela empresa norte-americana Monsanto, recentemente adquirida pela alemã Bayer.

    Os efeitos colaterais do uso de glifosato, que a propósito é proibido em vários países europeus, são revelados na apicultura. As abelhas colhem o néctar de flores atingidas pelo herbicida e bebem água contaminada por ele. Por isso, o mel apresenta vestígios do herbicida, diminuindo, assim, seu custo no exterior, explicou à Sputnik Mundo o presidente da Sociedade de Apicultores do Uruguai, Ruben Riera.

    Em agosto de 2016, União Europeia revelou que o nível de glifosato no mel uruguaio supera as normas estabelecidas. Como resultado, os produtores foram forçados a diminuir o preço do seu produto, porque parar de exportar o mel para a Europa não seria rentável.

    Apicultores reclamaram para as autoridades do Uruguai, dizendo que tal preço do mel nos mercados europeus e norte-americanos põe em dúvida a existência da apicultura uruguaia.

    As autoridades permitiram realizar pesquisas e detectar a fonte deste herbicida e como ele cai nas colmeias. Mas os apicultores não só querem detectá-lo, mas também eliminá-lo.

    Loja que vende maconha para fins medicinais em Bogotá, na Colômbia (arquivo)
    © AFP 2017/ GUILLERMO LEGARIA
    O mel do Uruguai é principalmente exportado para a Europa e para EUA. Vale destacar que a Alemanha, um dos melhores e mais exigentes compradores, está comprando apenas um sexto do mel uruguaio que chega à Europa, sendo que antes comprava 90% de todo o produto latino-americano.

    Ruben Riera sublinha que os EUA até agora não limitaram as importações do mel do seu país, mas ele julga que isso acontecerá em breve. Recentemente, o glifosato foi oficialmente reconhecido como um produto cancerígeno na Califórnia. A indignação cresce pouco a pouco em outros estados norte-americanos também.

    "É provável que os EUA introduzam restrições", disse o presidente da Sociedade de Apicultores do Uruguai.

    Mais:

    Brasil enfrenta Uruguai e pode ter vaga antecipada para a Copa do Mundo na Rússia em 2018
    Putin e Tabaré Vázquez anunciam acordos entre Rússia e Uruguai
    Presidente do Uruguai: 'Relações com Rússia são excelentes'
    Tags:
    organismos geneticamente modificados, agricultura, apicultura, abelhas, mel, Monsanto, União Europeia, Europa, EUA, Alemanha, América Latina, Uruguai
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik