08:29 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Nicolás Maduro

    Maduro está disposto a ultrapassar fronteiras para defender Revolução Bolivariana

    © REUTERS/ Miraflores Palace
    Américas
    URL curta
    Presidente contra Parlamento: Constituinte venezuelana (7)
    56168

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que as autoridades venezuelanas estão dispostas a sair do país para proteger os interesses da Revolução Bolivariana, bem como para evitar a separação do país.

    "Se a Venezuela for desfragmentada e se a Revolução Bolivariana for forçada a utilizar armas, combateremos novamente com a mesma bandeira e ultrapassaremos nossa fronteira", declarou o presidente venezuelano em entrevista à RT.

    Além disso, o líder venezuelano pediu para que o presidente norte-americano, Donald Trump, "cesse sua agressão" em relação ao país. "Em particular, meu discurso é destinado ao presidente Donald Trump: cesse sua agressão contra a Venezuela e pare de interferir nos assuntos internos da América Latina", frisou ele.

    O presidente venezuelano se referiu às conversas quanto ao bloqueio da Venezuela pelos EUA como "loucura absoluta". "Eles já começaram o bloqueio, o que podemos chamar de indireta, contra nosso sistema financeiro", contou Maduro.

    Anteriormente, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos comunicou a adesão de 13 pessoas físicas à lista de sanções, incluindo atuais e ex-ministros, chefes da polícia da Venezuela e o vice- presidente da empresa estatal petrolífera. De acordo com um representante da administração dos EUA, essas pessoas estão ligadas ao regime corrupto de Maduro, bem como violam os direitos humanos.

    Presidente da Venezuela, Nicolas Maduro
    © REUTERS/ Miraflores Palace/Handout via Reuters
    Desde o início de abril, a Venezuela foi coberta por protestos em massa depois da decisão do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) de impor limitações ao poder da Assembleia Nacional, que é oposicionista. A decisão foi cancelada, mas os apoiantes da oposição saíram às ruas exigindo a renúncia dos membros do Tribunal e realização de eleições antecipadas. Hoje em dia, os protestos tomam força contra a convocação da Assembleia Constituinte, por medo de ser uma tentativa de mudar a Constituição do país. Segundo dados recentes, mais de 100 pessoas morreram.

    Tema:
    Presidente contra Parlamento: Constituinte venezuelana (7)

    Mais:

    Venezuela acusa Colômbia e México de conspirar com CIA contra Maduro
    Maduro promete prender todos os juízes da Suprema Corte nomeados pelo Parlamento
    Maduro concorda com referendo da oposição sobre validade da Assembleia Constituinte
    Tags:
    Revolução Bolivariana, Supremo Tribunal de Justiça, Assembleia Nacional, Nicolás Maduro, Venezuela, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik