22:00 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1235
    Nos siga no

    As autoridades venezuelanas não excluem que a inteligência dos EUA possa organizar provocações na república em 30 de julho, quando forem realizadas as eleições da Assembleia Constituinte, para as usarem como pretexto para uma intervenção militar, disse o chefe da missão diplomática venezuelana em Moscou, Carlos Rafael Faría Tortosa.

    Segundo o diplomata, é preciso recear que os EUA possam provocar caos, violência e mortes no país para acusar disso o governo, como o fizeram em muitos países, incluindo a Ucrânia, Líbia e Síria. "Na Síria isso foi realizado com recurso a ataques químicos. Iraque. Temos uma lista demasiado longa para enumerar", disse Tortosa.

    Respondendo à pergunta sobre as provocações da inteligência norte-americana, que poderiam causar mortes para acusar o governo venezuelano, ele disse: "Isso não é excluído em circunstância alguma. Eles queriam que essas ações acontecessem para preparar um festim para a mídia e fornecer um pretexto para intervenção armada", explicou o diplomata.

    As eleições para a Assembleia Nacional Constituinte, que reformará a Constituição venezuelana, serão realizadas em 30 de julho. Segundo a oposição da Venezuela, se trata de uma violação da Constituição, e a decisão sobre a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte deve ser tomada por meio de referendo e não pelo presidente.

    Desde abril, milhares de pessoas se têm manifestado contra a convocação da Assembleia Constituinte pelo governo de Maduro na Venezuela. Oposicionistas consideram a medida uma tentativa de alterar a Constituição. Segundo os dados, mais de 90 pessoas foram mortas durante as manifestações.

    Mais:

    Rússia vai ajudar na solução da crise venezuelana se Caracas pedir
    Bogotá exige explicação de Caracas sobre incursão de tropas venezuelanas na Colômbia
    Venezuela: 60 pessoas ficaram feridas durante protestos contra o governo em Caracas
    Tags:
    Venezuela, Caracas, Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, eleições, manifestações, intervenção militar, provocação
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar