13:04 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    15110
    Nos siga no

    A Coreia do Norte é capaz de lançar um “limitado” ataque com mísseis e os Estados Unidos estão prontos para se defender, junto com Coreia do Sul e Japão no caso de tal evento ocorrer, afirmou no fim de semana o chefe do Estado-Maior norte-americano.

    “O regime [do líder norte-coreano] Kim Jong-un está vinculado a um programa, e o que posso dizer ao povo americano hoje é que a Coreia do Norte é capaz de lançar um ataque de míssil limitado”, afirmou o general Joe Dunford, durante um fórum de segurança no estado do Colorado.

    “Os militares dos Estados Unidos podem se defender contra um ataque limitado da Coreia do Norte contra Seul, Japão e EUA”, completou o militar, que não deixou de esconder que existe sim a preocupação com o aspecto nuclear do programa norte-coreano.

    Na semana passada, o vice-chefe do Estado-Maior dos EUA, general Paul Selva, afirmou no Senado que Pyongyang desenvolveu mísseis com alcance suficiente para atingir o território estadunidense, mas sem qualquer nível de precisão.

    As recentes manifestações de militares dos EUA ainda faz referência ao teste conduzido pela Coreia do Norte no dia 4 de julho, quando o país asiático lançou um míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês), o que gerou preocupação ao Pentágono e à Casa Branca.

    “Muitas pessoas falaram sobre opções militares [contra a Coreia do Norte] com palavras como ‘inimaginável’. Eu mudaria isso um pouco para ‘horrível’”, disse Dunford. “Seria uma perda de vidas ao contrário de qualquer experiência que tivemos em nossas vidas. Qualquer um que tenha estado vivo desde a Segunda Guerra Mundial nunca viu a perda de vidas que poderia ocorrer se houver um conflito na Península Coreana”.

    Todavia, o general norte-americano reforçou que as opções militares não podem ser descartadas, pelo bem do povo estadunidense.

    “O que é inimaginável para mim é permitir que uma arma nuclear atinja a cidade de Denver, no Colorado. Meu trabalho será desenvolver opções militares para garantir que isso não aconteça”, avaliou. Para o militar, a pressão econômica e o esforço diplomático ainda são as melhores armas de Washington para forçar Pyongyang a recuar.

    Mais:

    Tudo que você precisa saber sobre a Marinha da Coreia do Norte
    Coreia do Norte: deficientes mortos ao nascer e atrocidades contra os direitos humanos
    Coreia do Norte diz que Seul pagará o 'mais alto preço' por condenar teste de mísseis
    Tags:
    mísseis balísticos, guerra nuclear, Hwasong-14, icbm, Casa Branca, Paul Selva, Kim Jong-un, Joseph Dunford, Península Coreana, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar