04:59 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa na praça Krasinski, em Varsóvia

    EUA são líder em gastos militares do mundo... mas Trump quer ainda mais

    © AP Photo / Evan Vucci
    Américas
    URL curta
    423

    O presidente dos EUA, Donald Trump, pediu por maiores gastos militares para um país que coloca mais dinheiro com as forças armadas que qualquer outra nação do mundo.

    O presidente dos Estados Unidos participou de uma cerimônia no USS Gerald R Ford, um símbolo do poder militar americano. Trump aproveitou a oportunidade para exigir que o Congresso aumente consideravelmente a previsão para gastos militares, de acordo com o Washington Times.

    "Estamos ficando melhores e mais fortes todos os dias do meu governo", afirmou o presidente dos EUA, acrescentando: "A América está ficando forte".

    Ao sugerir ao Congresso dos EUA a aumentar as despesas militares dos EUA em 10%, ou cerca de US $ 45 bilhões, Trump afirmou que nos últimos dez anos afetaram a proeza da defesa americana — a força militar mais poderosa e dispendiosa da Terra por uma ampla margem — até o ponto do desamparo.

    "A manutenção diferida, a falta de investimento em novos equipamentos e tecnologia e um déficit na preparação militar, confundiu uma força global envolvida em múltiplos conflitos em curso em todo o mundo", afirmou o presidente. "Foi um período muito, muito ruim para nossos militares", continuou.

    Os EUA gastam mais dinheiro nas forças armadas que os próximos oito países da lista combinados. Mesmo assim, o país sofre com as mais baixas taxas de eficácia de saúde, desigualdade e mortalidade infantil entre os países desenvolvidos.

    Mais:

    Rússia reforça gastos militares apesar das sanções
    Rússia ocupa 3º lugar entre países com maiores gastos militares
    Rússia se preocupa com aumento de 40% dos gastos militares dos EUA na OTAN
    Tags:
    USS Gerald R.Ford, The Washington Times, Congresso dos EUA, Donald Trump, Estados Unidos, América
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik