15:08 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    O Presidente da Federação da Rússia Vladimir Putin e seu homólogo dos EUA Donald Trump

    CIA sabia desde agosto que Putin se envolveu 'diretamente' para ajudar Trump, diz jornal

    © AFP 2017/ Odd Andersen, Jim Watson
    Américas
    URL curta
    27172218

    A agência de espionagem dos Estados Unidos (CIA, na sigla em inglês) detinha documentos e informações, em agosto do ano passado, que comprovariam que o presidente russo Vladimir Putin ordenou pessoalmente uma operação para ajudar Donald Trump a vencer as eleições, publica o jornal The Washington Post nesta sexta-feira.

    De acordo com a publicação, a inteligência norte-americana teve dificuldade em como reagir ao caso, que foi levado ao conhecimento do então presidente Barack Obama, com o mesmo sigilo empregado quando da morte do terrorista Osama bin Laden.

    A expectativa de que a adversária do republicano Trump, a democrata Hillary Clinton, venceria o pleito presidencial fez com que a Casa Branca deixasse medidas mais duras para depois da votação, o que hoje é considerado um erro por oficiais ouvidos pelo jornal.

    A reportagem cita ainda que o próprio Obama chegou a alertar Putin diretamente quanto à interferência nas eleições norte-americanas, ao mesmo tempo que o país fez ainda outros três alertas ao Kremlin. Medidas de retaliação foram cogitadas, mas não acabaram sendo colocadas em prática.

    O vazamento de e-mails de uma conta privada de Hillary Clinton pelo site Wikileaks  foi um componente que as autoridades dos EUA não puderam fazer nada, e a preocupação com os russos não era só na ajuda que teriam dado a Trump: seria o Kremlin capaz de invadir equipamentos usados nas votações pelos 50 estados norte-americanos?

    Uma das retaliações previstas seria o uso de ciberataques contra a infraestrutura russa, algo que, de acordo com o jornal de Washington, teria sido autorizado por Obama antes de deixar a Casa Branca. Só não se sabe se Trump deu continuidade a tal medida.

    Em diversas ocasiões, o governo russo e Putin negaram que o país interfira nas eleições de qualquer país. De sua parte, Trump se considera perseguido por supostas relações da sua campanha e do seu governo atual com o Kremlin, algo que ele nega sistematicamente.

    Mais:

    Trump nega ter grampeado ex-diretor do FBI
    Trump desdenha de investigações sobre a sua suposta ligação com a Rússia
    Trump critica indiferença da mídia sobre 'conexões' entre Clinton e Rússia
    Tags:
    interferência estrangeira, política, Casa Branca, Kremlin, Vladimir Putin, Hillary Clinton, Barack Obama, Donald Trump, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik