21:09 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Escritório da Agência de Segurança Nacional dos EUA

    Mídia: EUA elaboram 'bomba digital' contra Rússia

    © AFP 2017/ PAUL J. RICHARDS
    Américas
    URL curta
    213730320

    O ex-presidente dos EUA Barack Obama aprovou em 2016 a instalação de armas cibernéticas nos sistemas da infraestrutura russa, informa o Washington Post.

    Os jornalistas realizaram sua própria investigação e descobriram que esta arma é um "equivalente digital a uma bomba" e pode ser ativada no caso de agravamento crítico das relações com a Rússia.

    Era suposto que o uso da arma devia ser aprovado pelo próprio presidente em funções.

    Segundo contou ao jornal um dos ex-funcionários norte-americanos, o armamento desenvolvido pode prejudicar o funcionamento de redes russas estrategicamente importantes.

    A tecnologia foi desenvolvida pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA e está equipada com controle remoto.

    O jornal nota que a administração de Obama passou muito tempo escolhendo medidas de resposta à suposta "interferência russa" nos assuntos internos do país com medo de que quaisquer sanções pudessem gerar o resultado inverso. Eles também não queriam influenciar os resultados da companha eleitoral e "ensombrar" a vitória esperada de Hillary Clinton.

    De acordo com as informações do Washington Post, atualmente o projeto cibernético está em uma fase inicial, pois seu desenvolvimento foi interrompido após Donald Trump ter ganho as eleições. Naquele momento, os funcionários estavam focados na preparação das medidas que impedissem Trump de cancelar as iniciativas do antecessor.

    Anteriormente, The New York Times comunicou que Obama permitia usar armas cibernéticas apenas em condições do chamado "domínio da escalada". Tratava-se da possibilidade de os EUA terminarem o conflito de acordo ditando seus próprios termos.

    Além disso, na primavera, o site WikiLeaks publicou documentos secretos da CIA que descrevem ferramentas para piratear computadores, celulares e televisões. Segundo os dados, os funcionários da CIA utilizam uma variedade de programas secretos, que incluem programas para hackear, vírus, bem como software malicioso, contra os quais ainda não existe proteção.

    Mais:

    Rússia vira forte concorrente dos EUA no mercado de armamentos saudita
    Rússia cancela consultas com EUA sobre normalização das relações
    Tags:
    guerra cibernética, digital, bomba, Agência de Segurança Nacional, Donald Trump, Barack Obama, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik