01:17 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    An unloaded Twitter website is seen on a phone without an internet connection, in front of a displayed ISIS flag in this photo illustration in Zenica, Bosnia and Herzegovina, February 3, 2016

    Há realmente ameaça do Daesh na América Latina?

    © REUTERS/ Dado Ruvic
    Américas
    URL curta
    5102963

    Na sequência do aparecimento de propaganda jihadista no site oficial do Exército Argentino, a Sputnik falou com o analista internacional Andrei Serbin sobre a possibilidade de a região ser vítima de um ataque terrorista do grupo em questão.

    As autoridades argentinas estão investigando a possível presença do grupo terrorista Daesh, proibido na Rússia e em vários outros países, na América Latina. O principal motivo foi o ataque hacker em 19 de junho no site oficial do Exército deste país.

    "O Daesh está na Argentina", apareceu na página da instituição argentina após o ciberataque. As palavras foram acompanhadas com uma imagem de pessoas encapuzadas e segurando uma bandeira do grupo terrorista.

    Andrei Serbin, analista em assuntos internacionais e diretor da Coordenadora Regional de Investigações Econômicas e Sociais, não acredita que esta situação tenha sido um resultado da presença do grupo terrorista.

    "Estado Islâmico [Daesh] não demonstrou capacidades sofisticadíssimas em relação ao hackeamento. Quando realizou um, este foi feito muito publicamente. O tipo de imagem que utilizam não é a tradicional, onde aparecem soldados com uma bandeira negra e letras brancas segurando Kalashnikov como neste caso, e aquelas são as verdadeiras imagens do conflito na Síria. Esses elementos fazem pensar que não estamos perante um ataque hacker deste grupo terrorista. É provável que se trate mais de vandalismo cibernético", disse o analista à Sputnik.

    Depois do ataque, o Exército Argentino divulgou um comunicado reconhecendo ter recebido "uma agressão de segurança informática". Ao afirmar desconhecer sua origem, explicou que o ciberataque "não afetou nenhum dos sistemas informáticos críticos" e se limitou à sua página web.

    Serbin recordou que o papel da América Latina no cenário global de luta contra terrorismo é marginal. Portanto, explicou ele, as possibilidades de um ataque são menores que nas outras regiões. Porém, advertiu que, sendo as fronteiras da região "muito porosas", é sensato assumir que a possibilidade existe.

    "Pelas características da nossa região, a possibilidade é remota. A América Latina não está vinculada na luta contra o terrorismo. Não enviamos tropas, o tema não está presente nos discursos dos nossos presidentes, não participamos de forma ativa das coalizões que buscam combater grupos como Daesh. Houve alertas nos últimos anos, mas até agora não houve nenhuma situação concreta de ameaça. Um atentado na região não seria tão lucrativo para o grupo como se fosse efetuado nos países vinculados à luta contra terrorismo internacional", concluiu.

    Mais:

    'Coalizão internacional e Forças Democráticas Sírias estão em conluio com Daesh'
    ONU: Daesh está se reorganizando para novos atentados na Europa
    Putin revela o número de terroristas do Daesh
    Tags:
    atentados, jihadistas, ataque hacker, terrorismo, Daesh, América Latina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik