07:39 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    US Democratic presidential nominee Hillary Clinton waves to the crowd at a campaign rally in Pittsburgh, Pennsylvania, US November 7, 2016, the final day of campaigning before the election.

    Hillary Clinton enviou informações confidenciais do governo dos EUA à própria Fundação

    © REUTERS / Brian Snyder
    Américas
    URL curta
    540

    A ex-secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, enviou dados confidenciais para os funcionários da Fundação Clinton, disse o grupo de vigilância Judicial Watch na quinta-feira.

    Documentos recém-divulgados comprovam que a ex-secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, enviou informações confidenciais aos funcionários da Fundação Clinton, disse o grupo de vigilância Judicial Watch na quinta-feira.

    "O Judicial Watch lançou hoje 2.078 páginas de documentos revelando mais instâncias da ex-secretária de Estado Hillary Clinton, enviando e recebendo informações confidenciais por meio de um servidor de e-mail não seguro", disse Judicial Watch em comunicado.

    O grupo obteve os registros ao apresentar uma ação judicial contra o Departamento de Estado no último dia 5, depois de não ter divulgado os documentos em resposta, a um pedido da Lei de Liberdade de Informação.

    O Judicial Watch explicou os e-mails, dos quais 115 não estavam entre as 55.000 páginas de e-mails que Clinton anteriormente entregou ao Departamento de Estado, continham várias informações confidenciais compartilhadas em um sistema de e-mail descompilado.

    Em um desses casos, Clinton, em 2 de dezembro de 2010, compartilhou informações classificadas com Justin Cooper, um assessor do ex-presidente Bill Clinton e o diretor da Fundação Clinton, Doug Band, nenhum dos quais teve autorizações de segurança, observou o Judicial Watch.

    As mensagens mostram que a ex-chefe de gabinete de Clinton, Huma Abedin, distribuiu favores especiais para a filha de Hillary, Chelsea, e outros envolvidos com a Fundação Clinton. Em maio de 2010, por exemplo, Abedin dizia ter "apresentado" os representantes da Fundação Russo-Americana com "as pessoas certas" no Departamento de Estado.

    O e-mail mostra que Abedin apresentou os dois grupos depois de receber um pedido de contatos da vice-presidente da Fundação Russo-Americana, Rina Kirshner, que foi encaminhada a ela pelo doador da Fundação Clinton, Eddie Trump.

    Mais:

    Escândalo de e-mails de Clinton pode lhe custar a carreira
    WikiLeaks publica 9º lote de polêmicos e-mails da campanha de Hillary Clinton
    Com ou sem e-mails: Especialistas sobre futuro dos EUA com Clinton
    Tags:
    Fundação Russo-Americana, Fundação Clinton, Judicial Watch, Rina Kirshner, Justin Cooper, Doug Band, Chelsea Clinton, Huma Abedin, Bill Clinton, Hillary Clinton, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik