23:20 24 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Carter Page, conselheiro do novo presidente dos EUA, Donald Trump, durante discurso na Nova Escola de Economia de Moscou, Rússia

    Ex-assessor de Trump se oferece para testemunhar sobre interferência russa em 2016

    © AP Photo / Pavel Golovkin
    Américas
    URL curta
    110

    Um ex-assessor de campanha do presidente Donald Trump enviou uma carta ao Comitê de Inteligência de Câmara dos Deputados dos EUA em que expressou prontidão para testemunhar "o mais rápido possível" quanto às investigações sobre interferência da Rússia nas eleições de 2016.

    "No interesse de finalmente fornecer ao povo americano informações precisas, espero que possamos prosseguir com esse diálogo direto", afirmou Carter Page.

    No início do dia, Trump escreveu em um tweet que os Democratas, "que atormentaram Carter Page sobre a Rússia", não queriam que ele aparecesse ao Comitê de Inteligência, porque ele exporia "o testemunho falso ou enganador do [ex-Diretor do FBI] James Comey e do [ex-chefe da CIA] John Brennan".

    O compromisso da Carter com o painel foi agendado anteriormente para 6 de junho, mas adiado. No mês passado, Page informou à CNN que nenhuma das suas interações com autoridades russas no passado continha qualquer coisa que não estava no registro público.

    Funcionários russos negaram repetidamente as denúncias de interferência na eleição presidencial de 2016 dos EUA, chamando-os de absurdos.

    Mais:

    Casa Branca nega intenção de barrar depoimento de ex-procuradora sobre interferência russa
    Diretor de campanha de Trump concorda em testemunhar sobre 'interferência russa'
    Snowden: 'Alegações do FBI sobre a interferência russa na eleição dos EUA não têm provas'
    Senado dos EUA define data para começar a analisar 'interferência russa' nas eleições
    Tags:
    CIA, FBI, CNN, Democratas, Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados dos EUA, James Comey, John Brennan, Carter Page, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik