08:12 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    122
    Nos siga no

    O Exército dos Estados Unidos quer retirar posicionamentos permanentes no exterior e usar equipes de brigada rotativa, na medida em que se esforça para aumentar seu contingente como parte das ambições de remilitarização do presidente dos EUA, Donald Trump.

    A informação foi confirmada pelo membro da Chefia do Exército americano, General Mark Miller, durante uma audiência do Comitê de Serviços Armados do Senado.

    De acordo com um relatório da Defense News, o Exército está reequilibrando suas equipes de combate de brigadas (BCTs) para criar mais BCTs blindados às custas de infantaria mais leves. Enquanto alguns BCTs blindados, como o 15º BCT, serão criados através da transformação de infantaria existentes, outros, como o 16º, serão construídos do zero. É aí que entra o estoque sul-coreano.

    O estoque pré-posicionado do exército (APS) foi criado para suportar uma operação de contingência de resposta rápida, caso algo dê errado no exterior. No entanto, o Exército dos EUA está cada vez mais adotando seus APS para uso em exercícios militares e treinamento. Agora, eles vão usá-lo para equipar as brigadas recém-criadas.

    A 16ª equipe será uma força rotacional, uma nova estratégia militar dos EUA que apresenta uma alternativa para a localização permanente de tropas no exterior. As forças de rotação se moverão junto com todos os seus equipamentos, o que supostamente aumentará sua mobilidade e disponibilidade para implantação rápida em qualquer parte do mundo.

    Os EUA já implantaram um BCT blindado rotativo em janeiro. Foram necessários 14 dias para mover toda a unidade de um porto alemão para a Polônia e levá-lo à preparação do combate total, o que foi considerado um bom resultado por oficiais superiores do Exército dos EUA.

    De acordo com Milley, as unidades rotacionais têm "o efeito de uma unidade permanente em termos de efeito do campo de batalha, mas [não] vêm com o custo e sobrecarga de uma força permanentemente instalada".

    Quem teria pensado que os tanques em movimento ao redor do globo seriam mais baratos do que mantê-los em um só lugar? Bem, os BCTs permanentes para a frente requerem comissários — supermercados para soldados — que têm de oferecer praticamente os mesmos bens que os GI podem voltar para casa, bem como apartamentos para famílias e escolas de soldados para seus filhos.

    Tags:
    Comitê de Serviços Armados do Senado, Defense News, Exército dos EUA, Mark Miller, Donald Trump, Estados Unidos, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar