20:13 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Logotipo da agência Sputnik

    Chefe de campanha de Hillary diz que Sputnik é fonte favorita de informação na Casa Branca

    © Sputnik /
    Américas
    URL curta
    39100
    Nos siga no

    John Podesta, responsável pela campanha da democrata Hillary Clinton na eleição presidencial realizada nos Estados Unidos no ano passado, afirmou que o canal de TV RT e a agência Sputnik parecem ter sido escolhidos como principais fontes de informação pela atual administração em Washington.

    Em entrevista ao Washington Post, Podesta, que foi chefe de Gabinete de Bill Clinton e conselheiro de Barack Obama, descreveu a imprensa russa como ativa e engajada e disse que esses órgãos em especial teriam um lugar privilegiado na sala de imprensa da Casa Branca. 

    "Nós sabemos que os russos são engajados e ativos, ambos no sentido exagerado, através do uso da RT, a estação de TV patrocinada pelo Kremlin, da Sputnik e de outras fontes de informação, que agora parecem ser as fontes favoritas na sala de imprensa da Casa Branca. Mesmo eles fazem perguntas duras nos dias atuais, eu acho", disse ele em conversa com jornalista sobre as investigações relativas ao alegado envolvimento da campanha do presidente norte-americano, Donald Trump, com a Rússia. 

    A mídia dos Estados Unidos demonstrou grande insatisfação recentemente com o fato de apenas um jornalista, russo, ter sido escolhido para acompanhar o encontro de Donald Trump com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e o embaixador russo nos EUA, Sergei Kislyak, no último dia 10, data em que o líder americano teria compartilhado informações secretas com a Rússia.  

    Mais:

    Casa Branca: Relatos de que Trump revelou informações secretas a Lavrov são falsos
    OTAN desconhece informação que Trump compartilhou com Lavrov
    Tags:
    RT, Sputnik, Kremlin, Casa Branca, Sergei Lavrov, Bill Clinton, Barack Obama, John Podesta, Donald Trump, Sergei Kislyak, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar